sábado, 10 de agosto de 2013

O Impacto da cultura do eucalipto à natureza

O Impacto da cultura do eucalipto à natureza
Por João Amaral*
Na quinta-feira, 08 de agosto, a multinacional instalada em Guaíba, Celulose Riograndense anunciou a ampliação de sua fábrica e por consequência a retomada da mais nefasta ameaça ao bioma Pampa a plantação em larga escala de Eucaliptos.
Os chamados desertos verdes assim o são por não deixar nascer nada ao seu redor e de destruir a natureza. Veja neste artigo o que escondem da população sobre o assunto.
As consequências e os impactos deste processo são, entre outras:
> Perda da biodiversidade (alimentar, medicinal, calorífica, artesanal, potencial de construção, entre outros);
> Alteração do ciclo hidrológico, que resulta na diminuição e esgotamento de fontes de água, como o aumento de inundações e deslizamentos;
> Diminuição da produção de alimentos;
> Degradação do solo;
> Perda de culturas indígenas e tradicionais que dependem dos ecossistemas originais;
> Conflitos com empresas florestais que ocupam terras indígenas e outras comunidades tradicionais;
> Diminuição de fontes de emprego em zonas de tradição agropecuária;
> Expulsão da população rural, com aumento do contingente de Sem Terras;
> Perda da paisagem em locais turísticos.
As empresas por trás destes empreendimentos insistem em negar o óbvio e, cinicamente, chamam estes desertos verdes de florestas. As bolsas internacionais vêm negociando créditos de carbono, onde o "reflorestamento" é feito pela plantação de eucalipto e outras árvores utilizadas pelas indústrias de papel, processo industrial que causa altos passivos ambientais. Estas indústrias vêm sistematicamente sendo exportadas para os países do Sul, para utilizar água, solo e energia e, em troca, poluir.
Esta expansão ocupa as áreas agriculturáveis nobres que deveriam ser usadas para produzir alimentos. Ao invés de impedir este ataque a natureza os governos Dilma/Tarso incentivam a introdução da produção de eucaliptos com solução para a empobrecida metade sul do Estado.
O site do World Rain Forest Movement (Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais), de onde retirei algumas informações para este post, também tem alguns vídeos interessantes, entre eles "Montanhas de Papel. Crescente Injustiça", em português, que abre uma importante discussão sobre o uso do papel na sociedade neoliberal. 
Fonte: Bambu Ação Ecossocialista
*Diretor e editor do Jornal A Notícia/Tapes
Fonte: Online Comunicações

Nenhum comentário: