terça-feira, 25 de junho de 2013

Cineasta brasileira se explica após vídeo contra Copa no Brasil

 Carla Dauden (vídeo 'No, I'm Not Going To the World Cup)
Cineasta brasileira se explica após vídeo contra Copa no Brasil
Em nota publicada na própria página do Youtube, jovem de 23 anos que mora nos Estados Unidos alega que não tinha intenção de boicotar o evento 
Formada em cinema, a brasileira Carla Dauden conseguiu uma boa plateia para um vídeo que rodou o mundo nesta semana -- No, I’m Not Going to the World Cup (Não, eu Não Vou à Copa do Mundo). Nele, durante seis minutos e oito segundos, a jovem de 23 anos, que mora nos Estados Unidos, explica por que não pretende vir à Copa do Mundo do Brasil, em 2014, e critica a iniciativa do país de sediar o evento, baseando-se no gasto de bilhões de reais em estádios, enquanto o país sofre com deficiências nos setores de educação, saúde e transporte, entre outros.

Com cerca de cerca de 2,5 milhões de visualizações desde a última segunda-feira, o vídeo se tornou um fenômeno na internet e foi reproduzido por vários sites estrangeiros, como o do jornal espanhol El País, ajudado pela onda de protestos que toma o Brasil, nos quais se reclama, entre outras coisas, da realização da Copa por aqui.

No entanto, Claudia diz que foi mal interpretada ao entenderem que ela tentava boicotar o evento da Fifa ou até, quem sabe, pedir o impeachment de um governante. Para tentar se explicar e limpar a imagem, a garota divulgou uma nota na última quinta-feira em sua página no YouTube, explicando os reais motivos de sua revolta e por que ela não tem intenção de vir à Copa do Mundo no Brasil.
Nota de Carla Dauden:
“Oi, gente!
Estou acompanhando com um misto de surpresa e temor o que vem acontecendo por conta do vídeo que postei no YouTube. Além de ser muito grata a todos aqueles que compartilharam e que têm contribuído com o debate construtivo, gostaria de pontuar algumas coisas importantes. Leiam isso como uma tentativa de me posicionar diante de críticas e, sobretudo, diante do uso do meu vídeo por parte de grupos que, definitivamente, não me representam.
- Repudio, veementemente, qualquer discurso que coloque em risco o Estado Democrático de Direito;
- Não sou favorável ao impeachment de ninguém. Não se utilize de meu vídeo para defender essa ideia;
- Não faço parte nem simpatizo com nenhum partido político ou movimento social, apesar de não ser apolítica e de ter bastante clareza sobre minhas convicções ideológicas;
- Minha iniciativa não tem ligação alguma com os protestos contra o aumento da tarifa, embora eu seja totalmente solidária à causa, como a todas as outras que, de alguma maneira, e através dos movimentos sociais, tentam reverter as históricas injustiças sociais e a desigualdade em nosso país;
- A publicação do vídeo apenas coincidiu com os protestos. Confiram a data da postagem;
- Como explico no início da peça, uso o inglês apenas porque meu objetivo primeiro era falar com amigos e colegas americanos e do mundo, com a intenção de mostrar a realidade do nosso país e trazer atenção internacional ao tema. Consequentemente, essa atenção gera uma pressão maior para que mudanças ocorram.
- Por último, e principalmente, não tenho as respostas para o que está acontecendo, não sou política ou ativista, apenas quis manifestar meus pensamentos. Acreditem, felizmente, nem tudo nesse mundo vem a partir de interesses financeiros ou políticos. Muito mais preparados para responder a essas perguntas estão as diversas organizações e movimentos sociais legítimos que estão lutando há bastante tempo, e diariamente, para que a Copa e as Olimpíadas não passem por cima dos direitos dos brasileiros.
Agradeço enormemente se puderem ajudar a espalhar essa mensagem e peço que não usem vídeo para causas que não condizem com as ideias acima.”
Fonte: Veja

Nenhum comentário: