segunda-feira, 27 de maio de 2013

EUA estão decididos a enviar astronautas a Marte em 20 anos

EUA estão decididos a enviar astronautas a Marte em 20 anos
Os Estados Unidos mantêm seu compromisso de enviar astronautas a Marte na década de 2030 e todo o programa de exploração da Nasa se dirige a este objetivo, disse o chefe da agência espacial americana, Charles Bolden.
“Um voo tripulado a Marte é agora o destino final da humanidade em nosso sistema solar e a prioridade da Nasa”, disse durante a abertura de uma conferência de três dias em Washington dedicada à conquista do planeta vermelho.
“Todo o nosso programa de exploração espacial está alinhado para apoiar este objetivo”, acrescentou.
O presidente americano, Barack Obama, enviou recentemente ao Congresso um orçamento de US$ 17,7 bilhões para a Nasa em 2014, menor que no ano anterior. Mas apesar das restrições alfandegárias atuais, o governo de Obama “segue comprometido com uma estratégia coordenada e uma exploração dinâmica de Marte para que os Estados Unidos sigam desempenhando um papel dominante na exploração do planeta vermelho”, insistiu Bolden, ex-comandante do ônibus espacial.
A pesquisa na Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês), onde seis astronautas vivem seis meses seguidos no ano, já tem como foco a preparação de missões de longa duração a um asteroide e a Marte, através do estudo dos efeitos da microgravidade no corpo humano e da realização de testes em tecnologias necessárias para estas viagens, disse.
Dois astronautas, um americano e um russo, devem passar um ano na plataforma orbital em 2015, o que corresponderia à duração de uma missão a Marte.
A Nasa planeja enviar astronautas em 2025 a um pequeno asteroide, a fim de colocá-lo em órbita ao redor da Lua. Esta missão permitirá “o desenvolvimento de tecnologias e capacidades exigidas para as missões tripuladas a Marte”, disse Bolden, citando melhores sistemas de sobrevivência e propulsão.
“A Nasa não tem atualmente a capacidade tecnológica para enviar seres humanos a Marte, mas acredito que estamos no caminho que nos levará lá na década de 2030?, afirmou o chefe da Nasa, negando-se a comentar projetos privados que têm por objetivo ir ao planeta vermelho muito antes.
Fonte: Terra

Nenhum comentário: