terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

"A utilidade das árvores"

"A utilidade das árvores"
Por Letícia Duarte 
Depois de uma ação desastrada na derrubada de 14 árvores dos entornos da Avenida do Gasômetro sem um trabalho prévio de sensibilização dos moradores e de uma declaração infeliz do prefeito José Fortunati, dizendo que a população não utiliza estas árvores conforme reproduzido pelo jornal Correio do Povo , a prefeitura paga o preço de seus erros políticos.
A indignação compartilhada nas redes sociais e o protesto em que dezenas de manifestantes trancaram ruas com os galhos das árvores derrubadas são respostas previsíveis diante das falhas elementares de comunicação que marcaram o episódio. 
Fortunati reconheceu esses erros ontem, ao admitir à coluna que ele próprio foi surpreendido pelo corte das árvores. Mesmo com aval da Secretaria do Meio Ambiente para a derrubada, como exigência para a duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), e com projeto de compensação ambiental já confirmado, lapsos na comunicação interna da administração fizeram com que o início das obras ocorresse sem discussão e esclarecimento prévio à comunidade. Um choque que acabou amplificado pela frase inoportuna de Fortunati, alvo de repercussões no Facebook, em reações como: “Olá prefeito, eu não uso o Arroio Dilúvio, gostaria que tirassem por favor” e “Se a gente não utiliza determinado prefeito, a gente pode derrubar?”.
Fortunati diz que sua declaração foi mal interpretada, garantindo que a prefeitura é a primeira interessada na sustentabilidade socio-ambiental – lembrando que só em 2012 foram plantadas mais de 26 mil mudas na cidade e que os projetos para a revitalização da Orla do Guaíba estão em fase de análise final.
— A forma como tudo ocorreu merece um pedido de desculpas à população, não era desta forma que tínhamos pensado. Eu acabei me expressando mal, mas obviamente (a frase) foi reproduzida fora do contexto — disse.
Para tentar minimizar o prejuízo, a prefeitura suspendeu temporariamente as obras em frente à Usina e buscará um amplo debate público para esclarecer a população sobre a importância da obra realizada e as medidas compensatórias. Mas o desgaste já ocorreu.
Fonte: Zero Hora

Nenhum comentário: