quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Diante da violência, crianças e adolescentes pensam que a justiça nunca chegará

Diante da violência, crianças e adolescentes pensam que a justiça nunca chegará
Por Gladis Torres Ruiz 
Especialistas em violência de gênero apresentaram no Senado a situação que abriga no México a violência contra as crianças, adolescentes, mulheres e jornalistas, na qual chega inclusive até o assassinato.
Durante o fórum "Vulnerabilidade jurídicas das crianças e adolescentes diante da violência sexual no México”, María Josefina Menéndez, diretora no México da organização internacional Save the Children, assinalou que diante da violência da qual são vítimas, meninas, meninos e adolescentes não acreditam nas autoridades e têm poucas esperanças de mudança.
Também se considerou que o impacto da violência social na infância foi alto e não é atendido de maneira específica.
Segundo os primeiros resultados da investigação "Identificação e reconhecimento jurídico da vulnerabilidade das crianças e mulheres adolescentes diante da violência sexual no México”, de 7.938 meninos e meninas entre 7 e 18 anos, 84% acredita que pode ser lesado pela violência; 72% já viu uma pistola; 70% já viu o consumo de droga e 32% já foi vítima de sequestro.
Ao se apresentar o relatório "Feminicídio no México. Aproximação, tendências e mudanças 1985-2009”, se informou que o número de disfunções femininas com presunção de homicídio nesse lapso foi de 34.176, das quais 7 mil ocorreram entre 2005 e 2009.
Fonte: Cimac

Nenhum comentário: