sábado, 17 de setembro de 2011

Mentiras e verdades sobre Belo Monte

 Mentiras e verdades sobre 
Belo Monte
Por Telma Monteiro
Para gerar energia será represada a maior parte do Rio Xingu em um trecho conhecido como Volta Grande, no Pará. Canais levarão a água até uma casa de máquinas, enquanto uma porção do rio ficará com o fluxo de água reduzido.
1. Saiba por que a energia gerada por Belo Monte não poderia ser considerada de uma fonte limpa
* Mentira – as autoridades do governo dizem que construir grandes hidrelétricas na Amazônia pode gerar uma energia limpa 
* Verdade – a energia hidrelétrica não pode ser considerada limpa porque põe em risco a vida dos povos indígenas e das populações tradicionais; ameaça a biodiversidade e os ecossistemas; 
* Mentira – a energia gerada por hidrelétricas é renovável 
* Verdade – a energia gerada por hidrelétricas não é renovável como não é renovável a vida dos povos indígenas, a vida das populações tradicionais e a biodiversidade que sofrem os impactos de barragens; 
* Mentira – o trecho do rio Xingu chamado Volta Grande não vai sofrer alterações com a vazão reduzida 
* Verdade – na Volta Grande do Xingu a escassez da água em conseqüência da barragem no sítio Pimental vai levar à extinção de espécies de peixes, impedir a navegação dos ribeirinhos e indígenas, destruir a mata ciliar e criar pequenos lagos de águas paradas onde mosquitos e larvas de doenças como dengue e malária se multiplicarão facilmente. 
* Mentira – depois de construída a barragem e do enchimento dos reservatórios os impactos cessarão 
* Verdade – os impactos começam antes das obras com o aumento de população em busca de oportunidades; em seguida vêm os impactos decorrentes do desmatamento, da construção de canteiros de obras e barragens, das escavações, da presença de operários, depredação da caça e da pesca, da violência, das doenças e da prostituição infantil; após as obras civis vem o enchimento dos reservatórios que contribui com o aquecimento global com a emissão de gás metano e, finalmente, depois de autorizada a operação da usina, os impactos continuarão por toda a sua vida útil e mais além, após sua desativação; 
* Mentira – os povos indígenas e as comunidades foram consultados sobre a usina 
* Verdade – faltou transparência das autoridades que tomaram a decisão de fazer Belo Monte e faltou diálogo com os povos indígenas e os ribeirinhos; as audiências públicas não foram suficientes para discutir o projeto e só serviram para que as autoridades do governo, Ibama e os responsáveis pelos estudos ambientais tivessem a oportunidade de "enfiar Belo Monte goela abaixo da sociedade"; a Constituição Federal diz que tem que haver o consentimento livre, prévio e informado dos povos indígenas.
Leia mais em Diário Liberdade

Nenhum comentário: