domingo, 9 de janeiro de 2011

Ministra quer aumento de zonas verdes e ecológicas em Angola

Parque Nacional da Kissama
Ministra quer aumento de zonas verdes e ecológicas em Angola
A ministra do Ambiente, Fátima Jardim, exortou em Luanda, aos empreendedores nacionais e estrangeiros e aos demais cidadãos no sentido de se associarem às acções de plantação de árvores para o aumento de novas zonas verdes e ecológicas no país.
“Devemos compensar, plantando novas árvores, os danos causados nas nossas florestas, onde o abate indiscriminado de árvores, seguidas de  queimadas, ainda continua, sobretudo nas zonas rurais”, reiterou Fátima Jardim  durante a cerimónia de cumprimentos de  fim de ano.
Sendo 2011 o Ano Internacional das Florestas, a ministra  defendeu a necessidade do envolvimento da sociedade  na  protecção da  flora,  visto que a sua destruição periga de  igual modo a vida de  mamíferos,  aves,  répteis e outras plantas úteis a  vida humana.
“Cada um de  nós  deve dar a sua contribuição para o desenvolvimento sustentável do país e a mudança de  comportamentos no que se refere a   preservação e  conservação da  nossa  fauna e  flora”, frisou. 
Ministra Fátima Jardim
Para  a ministra, quem  aproveita um  espaço  a partir de  10 hectares  deve  plantar árvores,  uma  acção que  pode contribuir no aumento das  zonas verdes  e ecológicas  em  Angola.
Neste  sentido garantiu  dar  continuidade ao projecto de  educação  ética cívica  e ambiental, com vista a assegurar o desenvolvimento das novas gerações.
Sobre os planos programados para o próximo ano,  Fátima Jardim  anunciou o lançamento, em  Janeiro, do Novo Plano Estratégico do  Ambiente em Angola,  que assentará num trabalho de reavaliação dos indicadores  ambientais.
Este  plano, de acordo com Fátima Jardim, que já começou a ser elaborado pelos  técnicos dos sector, será lançado  durante  a semana  do ambiente que  termina em 31 de Janeiro,  Dia  Nacional  do Ambiente.
Referiu que  o novo plano  vai  permitir a promoção  e  elaboração  do  Relatório  do Estado  do Ambiente em  Angola,  que em finais  de 2011.
Segundo a ministra, no decorrer do próximo ano os técnicos do sector e seus colaboradores iniciarão também a revisão  da estratégia  nacional das  alterações  climáticas,  a estratégia da  biodiversidade, com o término previsto para 2012.
Fátima Jardim disse que o ano de 2011  será de muitos  desafios, visto que será também o período em que  se realizará, isto no primeiro  semestre,  o 1º  Congresso da CPLP  sobre  os resíduos, em Luanda, assim como  a primeira  Feira  e Novas Tecnologias  Ambientais.
Para a ministra, essas actividades  vão permitir o desenvolvimento de uma sociedade cada vez mais saudável.
 
Leia mais no Portal Angop

Nenhum comentário: