sábado, 15 de janeiro de 2011

Chuvas, enchentes e mortes, culpa de quem?



Sumaré/SP: bombeiros utilizaram barco para retirar moradores de áreas de risco no interior de São Paulo (R7)
Chuvas, enchentes e mortes, culpa de quem?
Eu acho muito engraçado o ser humano e suas atitudes. Há exatamente um ano passávamos pela mesma situação que passamos hoje: chuvas atípicas, desabamentos e deslizamentos, alagamentos… e mortes. As vezes nos criticam por nós, ambientalistas e ativistas, sempre levarmos as discussões pro lado ambiental. Mas, para mim, é muito claro a razão desses acontecimentos trágicos: lixo nas ruas e falta de planejamento urbano. 
A história é simples: as pessoas jogam lixo na rua, esse lixo vai parar em bueiros e acaba os entupindo, e aí quando chegam as chuvas, acontecem os alagamentos. Além disso, as áreas verdes são cobertas por asfalto, o que implica na não absorção da água. O desmatamento nas encostas deixa a terra “solta”, sem que nada as segure – como as raízes das árvores. 
A prefeitura também tem culpa. São justamente estes os que deveriam prover aos moradores locais seguros para moradia. Por falta disso, a ocupação desordenada nas encostas de morro e nas margens de rios acontece. Precisamos lembrar dos Planos Diretores que nunca são levados em consideração, ou mesmo abrangem os elementos ambientais. Como diria Harlan, em um comentário bem maquiavélico, não seria até de propósito deixar que a cidade, os mais pobres, se espalhem desordenadamente pelas encostas? É de se pensar… 
Todos os estados da região sudeste e centro oeste estão em estado de alerta devido as chuvas que caem desde semana passada. Esse é um evento que acorre em várias cidades, mas que atinge principalmente os que menos podem lutar contra isso, os que não têm outra casa ou lugar para ir. E, falando nos ricos e pobres, não somos os únicos. A Austrália também está sofrendo com as chuvas e enchentes. 
Mas a única pergunta que consigo pensar é: se estes desastres são tão previsíveis, são sazonais, logo acontecem sempre no mesmo período, por que não nos preparamos para eles? Prevenir-se dos efeitos das chuvas é tão difícil para o ser que aprendeu a voar e ir às profundezas do oceano? Por que eu tenho de ver a mídia explorando essa desgraça, ano após ano? 
Os poder público deve fazer campanhas de conscientização, junto com empresas de transporte, apelando as pessoas que não joguem lixo nas ruas… É preciso trabalho conjunto entre cidadãos e governantes. Não será os mil reais que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, está propondo ser dado aos desabrigados que sanará este problema. Precisamos aprender a viver em equilíbrio com o ambiente. É preciso respeitar o seu espaço. Devemos sim nos desenvolver, mas de forma planejada e o mais sustentável possível. 

Nenhum comentário: