.

.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

MANIFESTO DO 28º ENCONTRO ESTADUAL DE ENTIDADES ECOLÓGICAS

 MANIFESTO DO 28º ENCONTRO ESTADUAL DE ENTIDADES ECOLÓGICAS 
26 a 28 de agosto de 2010 – Viamão, RS
Entre os dias 26 e 28 de agosto realizou-se o 28º Encontro Estadual de Entidades Ecológicas (EEEE), promovido pela Assembleia Permanente de Entidades de Defesa do Meio Ambiente (APEDeMA-RS).
O local escolhido, para tal, foi o assentamento Filhos de Sepé, na zona rural de Viamão-RS, inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) do Banhado Grande e que faz divisas com o Refúgio de Vida Sivestre Banhado dos Pacheco. Este espaço foi estrategicamente escolhido pela referência nas práticas de agroecologia, permacultura.
Neste local há 10 anos são realizadas pesquisas em saneamento com tecnologias sociais, hoje já espalhadas nos assentamentos urbanos e rurais do Rio Grande do Sul e Brasil, assim como a bioconstrução, a produção de arroz ecológico e o viver em comunidade junto à natureza. Outro fator que levou à escolha desse local é a discussão sobre os projetos de mineração de carvão, que colocam em risco a biodiversidade, as práticas produtivas e a sustentabilidade ambiental da região.
O Movimento Ecológico Gaúcho tem vivido momentos importantes e de transformações que nos exigem organização e reflexão.  Para tanto o EEEE teve como objetivos, além de formação e troca de experiências entre as entidades ecológicas, a construção de linhas políticas conjuntas para as lutas socioambientais, fortalecendo e ampliando a aliança com outros movimentos sociais.
Sendo assim, as entidades ecológicas reunidas repudiam o processo de fragilização dos conselhos e colegiados de políticas públicas ambientais. A falta de paridade, transparência nos processos e supremacia de interesses que não levam em conta a sustentabilidade ambiental e conservação da biodiversidade.
Diante disto salientamos que é de responsabilidade dos conselheiros e de suas respectivas instituições as conseqüências das decisões tomadas.
É urgente um debate democrático sobre a composição e estrutura participativa do Conselho Estadual de Meio Ambiente (CONSEMA), órgão máximo da política pública ambiental no Rio Grande do Sul. Reafirmamos a necessidade da retomada do custeio para participação das entidades ambientalistas do interior do estado, garantindo a representatividade regional.  Exigimos o cumprimento da Resolução Consema 107/05 que normatiza a indicação, por parte da Assembleia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente (APEDeMA-RS), para compor às vagas da sociedade civil no CONSEMA.
Denunciamos a apropriação e centralidade na gestão dos recursos públicos do Fundo Estadual de Meio Ambiente (FEMA). Nos últimos anos os recursos do FEMA foram único e exclusivamente utilizados para custeio de máquina administrativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) sem debate na Câmara Técnica do Fundo. Para tanto, exigimos que os recursos do FEMA sejam disponibilizados através de editais públicos destinados ao apoio de projetos ambientais da sociedade civil organizada.

Alertamos a comunidade gaúcha sobre uma série de iniciativas do executivo e legislativo, estimulados por interesses de setores do empresariado irresponsável e inconsequente, e que tem como objetivo a flexibilização e fragilização da legislação ambiental, assédio moral aos funcionários, bem como a precarização dos órgãos de controle e gestão ambiental estatal.

Rejeitamos a estratégia midiática acerca da alteração do Código Florestal Brasileiro que promove a falsa ideia de fato consumado. Reiteramos a não alteração do atual código, permitindo assim, a proteção do meio ambiente, aliando a produção de alimentos saudáveis com a conservação e gestão racional dos bens naturais.

Repudiamos iniciativas da bancada ruralista, como o Projeto de Lei 154/09, de autoria do Deputado Estadual Edson Brum, que propõe alterações, que levam à descaracterização do Código Estadual do Meio Ambiente, causando a diminuição e, até, total supressão da tutela legal do Estado sobre o ambiente, gerando perdas irreversíveis da biodiversidade e danos a toda sociedade.

A manutenção da política de atração de investimentos, sustentada por generosos benefícios fiscais, concedidos a empresas, subsidiando obras de grande impacto como barragens de irrigação, hidrelétricas, ampliação de portos e rodovias, projetos de mineração, empreendimentos imobiliários e projetos de monocultura, como plantios de árvores exóticas e cana-de-açúcar, está colocando em risco a estabilidade dos ecossistemas e agravando a crise social.

Cobramos posicionamento rígido e ações efetivas do Poder Judiciário na medida em que é recorrente o descumprimento de preceitos legais e processos de licenciamento ambiental.
Ressaltamos a necessidade de implementação efetiva das Unidades de Conservação ambiental, bem como, a perpetuação de seus decretos de criação, impedindo o risco de revogação em virtude de mudanças na administração pública ou de interesses econômicos.

Apontamos a necessidade de amplo debate acerca do financiamento privado de campanha, pois temos presenciado a alteração da legislação, em todas as esferas do Estado, atendendo o interesse privado em detrimento do interesse público.

Denunciamos a ocorrência de um “ambientali$mo de merkado”, fruto do capitalismo verde, que vê a crise ambiental como uma oportunidade. Os conceitos “Mecanismos de Desenvolvimento Limpo” e mercado de carbono, dentre outros, vem sendo apresentados como alternativas às mudanças climáticas, quando na verdade são falsas soluções. Nessa perspectiva, mudanças estruturais são necessárias, nas esferas políticas, econômicas e sociais.

Finalizamos o 28º Encontro Estadual de Entidades Ecológicas (EEEE), reafirmando o compromisso de politizar a ecologia e ecologizar a política.
Viamão, 28 de agosto de 2010

Assinam esse Manifesto
Assembleia Permanente de Entidades de Defesa do Meio Ambiente (APEDeMA-RS)
Ação Nascente Maquiné (ANAMA) - Maquiné
Amigos da Paisagem Preservada de Quintão (APAIPQ) – Palmares do Sul
Associação São Borjense de de Proteção do Ambiente Natural (ASPAN) – São Borja
Associação Ambientalista Biguá (Biguá) - Arambaré
Associação Ambientalista da Costa Doce - Camaquã;
Abrace o Guaíba - POA;
Casa Tierra – Porto Alegre
Centro de Estudos Ambientais (CEA) - Rio Grande/ Pelotas
Econsciência – Porto Alegre
Grupo Ecológico Sentinela dos Pampas (GESP) – Passo Fundo
Grupo Ecológico Guardiões da Vida (GEGV) - Passo Fundo
Grupo Transdisciplinar de Estudos Ambientais Maricá (MARICÁ) - Viamão
Instituto Ballaena Australis - Santa Vitória do Palmar
Igré Associação Socioambientalista (IGRÉ) – Porto Alegre
Instituto Biofilia – Porto Alegre
Incandescente – Bagé/ Porto Alegre
Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (Ingá) – Porto Alegre
Movimento Ambientalista Os Verdes - Tapes
Núcleo Amigos da Terra Brasil (NAT) – Porto Alegre
Ong Solidariedade – Porto Alegre
União Protetora do Ambiente Natural (UPAN) – São Leopoldo
União Pedritense de Proteção ao Ambiente Natural (UPPAN) – Dom Pedrito

A 'ESTRADA DO INFERNO' DA LOMBA DO PINHEIRO

 A 'ESTRADA DO INFERNO' DA LOMBA DO PINHEIRO 
A estrada Afonso Lourenço Mariante, na localidade de Quinta do Portal, na Lomba do Pinheiro em Porto Alegre, está vivendo dias de "Estrada do Inferno" visto a estrada se transformar nos dias de trânsito num local sem as mínimas condições de trafegabilidade. 
imagem: Por esta importante estrada passa 1.400 toneladas todo o lixo nosso de cada dia 
Esta estrada é importante ligação viária entre as regiões de Belém Velho e Lomba do Pinheiro, bairros de Porto Alegre, e engloba no tráfego diário, além dos veículos leves das milhares de famílias que residem nesta localidade, os caminhões de transbordo do DMLU que direcionam todos os resíduos (lixos) coletados no município de Porto Alegre para este ponto com objetivo de seleção, controle e pesagem, para posteriormente ser levado (via rodoviária) para o aterro sanitário localizado no município de Arroio dos Ratos, em grandes caminhões caçambas. 
O trânsito destes caminhões caçambas de lixos com alta tonelagem, com a extração do minério da pedreira do Morro Pelado, o (precário) transporte coletivo da linha QUINTA DO PORTAL (Empresa Sudeste), os caminhões para o abastecimento de GÁS, ALIMENTOS, MUDANÇAS, AMBULÂNCIAS, BOMBEIROS, BRIGADA MILITAR, COOPERATIVA DOS TRABALHADORES na limpeza urbana, torna esta estrada uma provação diária aos moradores e transeuntes da região. 
Os moradores reclamam: "Este problema crônico já extrapolou o tempo de espera. É um pequeno trecho de aproximadamente 1.100 metros, que já passam de dez anos, esta é a angústia dos moradores e usuários, quando não chove é o pó e quando chove é um lamaçal permanente, causando problemas generalizados, prejudicando o tráfego de veículos, a mobilidade/locomoção dos pedrestes, o transporte escolar", afirmam os moradores. 
Fonte: REDE Os Verdes/via e-mail - Eduino de Mattos

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Palestra e Debate: Dia 31 de Agosto, às 19 horas na AGAPAN


Poderemos vencer a crise do clima e evitar a catástrofe socioambiental?
Palestrantes:
- Celso Waldemar - agrônomo, Agapan
- Prof Paulo Brack - biólogo, Ingá 
Local: InGá - Casarão do Arvoredo
Rua Fernando Machado, 464 - Centro- Porto Alegre

Entrada gratuita. Esperamos você lá.
Divulgue entre seus amigos, faça a sua parte pelo ambiente natural!!

AGAPAN
A vida sempre em primeiro lugar!
www.agapan.org.br

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Marina Silva e Cohn-Bendit em Porto Alegre/RS

Marina Silva e Cohn-Bendit em Porto Alegre/RS
A candidata a Presidente da República pelo Partido Verde, Marina Silva, estará em Porto Alegre no Rio Grande do Sul, acompanhada de liderança Verde Européia, no caso Daniel Cohn-Bendit, que é Deputado pela Aliança Livre Européia.
Conh-Bendit é uma das maiores lideranças da Manifestação dos Jovens Franceses de maio de 1968, quando manifestações tomaram conta de Paris contra o sistema político da época.
O evento será realizado na quarta-feira, dia 25 de agosto as 9 horas no Hotel Plaza São Rafael, centro da capital.
Fonte: SeCom PV/RS-via e-mail

“Quo usque tandem abutere, Catilina, patientia nostra?”*

“Quo usque tandem abutere, Catilina, patientia nostra?”*
“Mais sábio que esse homem eu sou, é bem provável que nenhum de nós saiba nada de bom, mas ele supõe saber alguma coisa e não saber, enquanto eu, se nada sei, tampouco suponho saber. Parece que sou um nadinha mais sábio que ele exatamente em não supor que saiba o que não sei” – Platão ‘Defesa de Sócrates’
Estava Eu e Sócrates a conversar, poucos dias atrás junto a ‘ágora’ de nossa ‘polis’, quando discutíamos uma situação que ocorre no ápice da paciência provocada. Sócrates é sabedor, além da perda da paciência existem outros ônus, assumidos pelos que questionam os saberes que apenas parecem existir, mas que na verdade são ‘mithus’, palavras que não constroem algo.
Uma de suas prediletas maneiras de colocar por terra aqueles, que mesmo no alto de suas pompas e títulos pensam que sabem, é lhes mostrar que na verdade são ignorantes e nada sabem, onde humildemente também reconhece em si uma falta de saber que lhe move a perguntar mais e na resposta abrir um turbilhão de outros problemas para resolver.
Com isso, na cidade o ódio a ele é líquido e certo, mas também há os que assumem um reverencia e respeito pelos pensamentos e filosofias originadas neste homem que encontro para sanar minhas dúvidas e mostrar-me mais saber, para que Eu saiba ‘que nada sei ainda’.
No dia-a-dia de minhas jornadas, posso dizer que como Sócrates, colecionei inimigos que mesmo reconhecendo-os apenas como opositores do que penso, escrevo e faço, sei que eles me odeiam porque mesmo possuindo saberes catedráticos, pouco sabem do prático, do vivencial, do empírico que alimenta a curiosidade e a faz sua cátedra para seu deleite pessoal e intelectual e não para que os outros pensem ou conjecturem sobre suas ‘idéias’ ou sobre como é o ‘parto das idéias’.
Nunca vi Sócrates em seu Gabinete, contemplando o próprio umbigo e sempre que o encontro está na ‘ágora’. Vejo-o questionar os transeuntes, na ignorância que supõe ter e perguntar sobre aquilo que pensam os mesmos saber. Acabava provando que, do que pensavam nada na ‘verdade sabiam’. Seu saber, que não é livresco é vivo e em processo de se fazer. O conteúdo é a experiência cotidiana. Quando questiona o poder dogmático, não afirma ser ele um sábio.
O que ocorre é que desperta consciências adormecidas, não sendo ele um farol que possa iluminar as mentes nas trevas da ignorância, mas quem sabe um toco de vela que ao acender, faz com quem outras mentes possam se abrir e ver que há mais dúvidas do que respostas daqueles que nos falam com a certeza e dizem o que é ‘real’ e de que sabem do que falam.
 Por estes motivos, foi o amigo Sócrates condenado como ‘subversivo’, quando ‘desnorteou’ e perturbou a ‘ordem’ do conhecer e do fazer. Sua condenação a morte, não tardou exatamente porque os líderes acharam que havia chegado o fim da paciência possível, estando ele agora subvertendo a mocidade e até ofendendo os ‘Deuses’. Numa cidade tão pequena como Atenas, um saber perturbador da ordem é incômoda e é expulsa da ‘polis’. As pessoas riem dos questionamentos e o consideram um ‘inútil’. Por vias das dúvidas e para não correrem riscos, os amordaçam, cortando o mal pela raiz.
Lembro que os ‘Estrategos’ de 64 (depois de Getulius), tiveram a iluminada idéia de retirar a ‘filosofia’ do ensino dos adolescentes, gerando uma sociedade que é manipulada por apenas saberes que lhes ensinam com vistas a um título e um emprego.
Não entendem nada da ‘polis’ e nem de que foram os Atenienses o povo que elaborou o ideal democrático, de que são dotados com os poderes de decidir e mudar os destinos das ‘polis’ de todo o Mediterrâneo, nosso mar e onde floresceu a cultura do debate nos espaços da ‘ágora’ para o discurso e o exercício da persuasão entre os ‘Demos’ e os ‘Kratias’.
A ‘demo-kratias’ é o pleno exercício do interesse do cidadão, pela qual os mesmos abandonam hábitos de passividade e do individualismo para serem mais participantes e conscientes do que é público, bem coletivo, essas ‘coisas públicas’ que alguns pensam até ser bicho-papão.
Alguns subestimam a própria inteligência ao assumirem um papel sofista que apenas repete ‘fórmulas e idéias’ que se mostram inviáveis e mesmo assim fazem delas suas bases, não tendo idéia do que é ‘ideal igualitário’ que preparou e construiu a democracia nos últimos milênios, abolindo o poder aristocrático das famílias e dando à ‘polis’ a autonomia das palavras.
Não mais dos mitos ditos e louvores aos deuses, mas sim a palavra humana da argumentação, que conflitou as afirmações, que gera a discussão na busca da solução que seja a melhor para o coletivo, deixando o saber de ser sagrado, passando ser objeto de debate.
Júlio Wandam
*Até quando, ó Catilina? Abusarás de nossa paciência – Discurso de Cícero contra Catilina
**Texto produzido com base em Filosofando – Introdução a Filosofia – Maria Machado Pires Martins

As Injustiças dos Lixos de Tapes


 Vereadora chega ao local da Usina de Triagem para atender chamado de Cooperados
As Injustiças dos Lixos de Tapes
Desde muito tempo, uma cidade e sua população durante quase três décadas agrediu a natureza de um local de paisagem única, quando injustamente colocou o meio ambiente e seus recursos em risco pela omissão e pela negligência governamental vigente 30 anos, permitindo uma série de injustiças ambientais, sociais e econômicas ocorressem, sob o manto de uma legalidade questionável até a raiz do problema.
A relação imposta sob Convênio, passando do gerador (povo) ao responsável legal pelos lixos públicos (prefeitura), para as mãos de gente humilde, analfabeta e que foi iludida como tantas outras ilusões que os políticos locais fizeram para o povo em geral da cidade, remete a forma grotesca de relação de trabalho com gente humilde, que só tem ‘deveres’, o ‘direito’ é outro assunto.
Mas agora, mais uma injustiça no rol de outras tantas cometidas contra estes cidadãos carroceiros e recicladores, que fazem de nossos resíduos sua forma de ganhar a vida.
“Lixos da cidade desde sábado estão sendo levados diretamente para o lixão da Camélia. Segundo os cooperados, a prefeitura estaria construindo um “novo funil”, prometido cerca de 1 ano atrás para o MP local”
Vejam que, desde os inícios das atividades desta 'Cooperativa', alertávamos as autoridades da falta de capacidade técnica, operacional, logística e financeira para que a "cooperativa" operasse um convênio da qual assumiu diversas responsabilidades quanto aos lixos depositados pela população nas ruas da cidade.
Caminhões da Prefeitura levam todo o lixo, fonte de renda dos cooperados
Desde o lixo doméstico até os entulhos da cidade, o compromisso desta Entidade conveniada, tem sido cumprido em condições ineficientes e colocando em risco a saúde urbana e dos próprios cooperados, e pelo serviço os carroceiros recebem da própria prefeitura mensalmente cerca de um salário mínimo.
 Lixos domésticos e até podas de jardins misturados na Carroça
Os restantes dos cooperados (os segregadores do lixo) recebem os resíduos "como pagamento" pelo serviço de tratamento (segregação dos resíduos), sem o apoio prometido no primeiro contrato, pois o segundo contrato, até hoje a administração da cooperativa não teve acesso a cópia para seus arquivos e posteriores usos, apesar de solicitarem diversas vezes.
O que não se entende é o sentido de ‘cooperados (?)’, pois se uma fonte paga apenas um grupo e o outro “que se vire”, onde está a ‘cooperação mútua’ entre os trabalhadores deste modelo ‘tapense’ de cooperativa?
 Transbordo diretamente para caminhões da Prefeitura, sem a devida segregação
Ficando a dúvida de valores repassados para os carroceiros, acabaram gerando até desconfiança entre ‘os sócios’ cooperados, que gostariam também de receber um valor fixo no final do mês para trabalhar para a Prefeitura, alguns alegam, e outros afirmam que os repasses de recursos acabaram e não cumpridas cláusulas do Convênio firmado.
Além de receberem o lixo da cidade 'no colo', operaram 'nas coxas' um sistema que não funciona e que depreciou o material logístico, as carroças, com os lixos misturados, o chorume corroí a madeira e os ferros. Acabou corroendo também a relação ‘profícua’ estabelecida em 2008, com assinatura de Convênio, com a inauguração da Usina, pompa e circunstância, com visita de Ministro de Estado e tudo mais. Uma visita dos fiscais do Ministério do Trabalho hoje cairia bem, mas que não seja como as feitas pela FEPAM, que os visita regularmente e “está sempre tudo bem”. 

 Caminhões abertos levam lixos para o Lixão da Camélia
A licença ambiental, que é válida até abril 2011, foi objeto de denúncia no MP local, de que estaria sendo usada para outra finalidade, visto não ser o local uma Central de Triagem de Resíduos Sólidos Recicláveis na origem e sim um local de transbordo das carroças para a segregação. Após a ‘triagem manual’, conforme os trabalhadores, estes retiram até 75% do volume em matéria prima reciclável, levando os 25% de rejeitos e orgânicos para o lixão da Camélia.
O Lixão de Tapes, local este já denunciado por operar cerca de 4 anos sem licença ambiental do órgão ambiental do Estado, mas com afirmações oficiais da Prefeitura para os Vereadores de Tapes de que o MP ‘teria dado anuência’; O que o órgão ministerial do Estado na Comarca nega veementemente.

 Crianças no Lixão da Camélia em 05 de junho de 2010 – Dia do Meio Ambiente no Planeta
Por fim, o que se demonstra na realidade, é que tanto a natureza, como os carroceiros, quanto os recicladores estão sendo explorados além da conta. Quando deveriam, por lógica, realizar um trabalho conjunto do órgão público junto com os “conveniados” para limpar a cidade, ocorre o contrário, e no caso ‘em sendo contratada’ a Cooperativa para ser a responsável pelos lixos da cidade, deve existir a ‘responsabilidade solidária’ da Prefeitura (Convenente), que deveria, por lógica também, operar um sistema de educação para a reciclagem eficaz na cidade e nas escolas,  promover a adequação do sistema de coleta seletiva e pública, capaz de gerar mudança de comportamento dos que produzem seus lixos diariamente, além de prover os custos para envio dos lixos (rejeitos -  cerca de 25%, segundo os catadores) para um aterro licenciado e operando sem poluir o ambiente.
Por Júlio Wandam
Fonte: REDE Os Verdes/RS - via e-mail
Imagens: Arquivo/Os Verdes/Renata Silva


domingo, 22 de agosto de 2010

Mordaça nos Humoristas - Nem Palhaço pode Rir dos Políticos nas Eleições 2010

O Rio de Janeiro teve uma passeata de protestos contra a legislação eleitoral que proíbe as atividades de humoristas sobre temas como os políticos candidatos e as eleições.
Reunindo diversos atores, cartunistas e chargistas dos jornais do país, o protesto quer mesmo é o fim da lei que amordaça e censura o trabalho dos humoristas no Brasil.
A palhaçada é tão grande, que não dá nem para rir destas coisas, faz favor!!

Seja Você um Amigo do Museu do Trem no RS

Caros parceiros,
Encaminhamos, via Museu do Trem, um convite especial a todos vocês.
Um convite para integrarem a reunião de formalização da Associação dos Amigos do Museu do Trem na próxima terça-feira.
A participação de cada um de vocês é muito importante, pois legitima essa ação de formalização da Associação que é uma solicitação de diferentes vozes, desde os pares entre educadores, pesquisadores, comunidade ferroviária, assim como a comunidade leopoldense e os parceiros dos museus da 1a. Região. 
Bem, todos os presentes no dia 24 próximo, irão compor o grupo de fundadores desta Associação, para isso precisaremos dos seguintes dados:
Nome completo:
Estado civil:
Profissão:
Número identidade:
Número CPF:
Endereço:
Telefone:
As pessoas que não estiverem presentes, mas manifestarem por escrito o desejo de integrarem esse grupo de fundadores, poderão encaminhar os dados para nosso e-mail: museudotrem@saoleopoldo.rs.gov.br ou alice@alice.art.br
Um forte abraço.

Alice Bemvenuti
Arte-educadora, pesquisadora e artista plástica 
Mestre em História, Teoria e Crítica de Arte - UFRGS 
Diretora do Museu do Trem - São Leopoldo 
Coordenadora da 1ª Região Museológica do Sistema Estadual de Museus - SEM/RS 

Aos colegas Educadores e Historiadores,
Temos a satisfação de convidá-los a integrarem um importante momento de organização e formalização da Associação de Amigos do Museu do Trem. Conforme Lei nº 11.904, de 14 de janeiro de 2009, os museus brasileiros devem se enquadrar nos Estatutos de Museus, sendo que entre os itens, podemos destacar (abaixo) aqueles relacionados a constituição da associações de amigos de museus.

Estatutos de Museus 
Art. 9º. Os museus poderão estimular a constituição de associações de amigos dos museus, grupos de interesse especializado, voluntariado ou outras formas de colaboração e participação sistemática da comunidade e do público. 
Art. 50. Serão entendidas como associações de amigos de museus as sociedades civis, sem fins lucrativos, constituídas na forma da lei civil, que preencham, ao menos, os seguintes requisitos: 
I - constar em seu instrumento criador, como finalidade exclusiva, o apoio, a manutenção e o incentivo às atividades dos museus a que se refiram, especialmente aquelas destinadas ao público em geral; 
II - não restringir a adesão de novos membros, sejam pessoas físicas ou jurídicas; 
III - ser vedada a remuneração da diretoria. 
Parágrafo único. O reconhecimento da associação de amigos dos museus será realizado em ficha cadastral elaborada pelo órgão mantenedor ou entidade competente. 

A reunião ocorrrerá no Armazém do Museu do Trem, Rua Lindolfo Collor, 61, São Leopoldo, no dia 24 de agosto, às 19h. Como pauta teremos o cadastramento dos amigos interessados na concretização desta ação e a definição de uma Comissão Organizadora do processo eletivo de uma diretoria interina para cumprir as tarefas iniciais de organização do próximo período. Reforçamos que a reunião é aberta e de caráter público. A reunião tem previsão de 1h30min de duração. Sua presença é muito importante para o Museu do Trem.  Para melhor organização, por favor confirme sua presença até o dia 23 próximo através dos e-mails indicados. 

Atenciosamente, 
Comissão Organizadora da Associação de Amigos do Museu do Trem

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Os Verdes pedem apoio a Candidata ao Prêmio Betinho

 Uma trabalhadora das Causas Sociais é CANDIDATA AO PRÊMIO BETINHO, representando Porto Alegre
PEDIMOS SEU VOTO E APOIO PARA FÁTIMA FLORES JARDIM -> clicando no LINK ABAIXO. 
Nossa indicada é coordenadora da Ong IPDAE, é professora e realiza um enorme trabalho de PROMOÇÃO DA CIDADANIA, na Ong realiza trabalhos de REFORÇO ESCOLAR PARA ALUNOS CARENTES, MANTÉM UMA ORQUESTRA INFANTO JUVENIL, coordena UM MUSEU COMUNITÁRIO, mantém e coordena uma exemplar BIBLIOTECA COMUNITÁRIA especializada para pesquisa escolar, ETC.
hoje é mantenedora de UM PONTO DE MEMÓRIA (programa do IBRAM)
* a entidade é aberta a todos, a única exigência para os jovens é a apresentação do boletim escolar, comprovando que estuda.
Vote em Fátima da IPDAE 
Obrigado! 
Júlio Wandam
Os Verdes de Tapes/RS
 
Fonte: Via e-mail/Eduino de Mattos
E-MAIL do IPDAE: > ipdae@ipdae.org

Encontro Estadual de Entidades Ecológicas – EEEE 2010

 Encontro Estadual de Entidades Ecológicas – EEEE 2010
Em 26, 27, 28 e 29 de agosto de 2010, acontecerá o XXVIII Encontro Estadual de Entidades Ecológicas (EEEE), em Viamão/RS.
Em torno de trinta anos que o movimento ecológico gaúcho (MEG) vem se reunindo e tratando de temas relativos a crise ecológica. É uma marca (28 econtros) que merece respeito e atenção. E tudo isso com pouco ou nenhum patrocínio. Foram raros os momentos em que o MEG conseguiu apoio de governos ou de outra fonte. 
Ao longo desse tempo, o CEA vem participando  e organizando EEEEs, discutindo teorias e aplicando ações para um planeta saudável, uma economia justa e uma relação socidade/natureza não antropocentrica. 
Na zonal sul do RS, na década de 80, aconteceu um EEEE, em Rio Grande, e em 2001 foi a vez de Pelotas receber o evento, ambos organizdos pelo CEA e outras ONGs. 

Leia abaixo a Convocação da APEDEMA-RS para o XXVIII Encontro Estadual de Entidades Ecológicas (EEEE)

É com muita satisfação que a Coordenação Executiva da Assembléia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul (APEDeMA-RS) convoca as organizações para participar do Encontro Estadual de Entidades Ecológicas  (EEEE 2010). 
O encontro será realizado entre 26 e 28 de agosto, na Zona Rural de Viamão, dentro da APA Banhado Grande, no Centro de Formação Sepé Tiarajú, localizado no assentamento Filhos de Sepé lindeiro do Refugio de Vida Sivestre Banhado dos Pachecos. O local foi estrategicamente escolhido pela referência em praticas de agroecologia, bioconstrução e permacultura. Ali, há mais de 10 anos, são realizadas pesquisas em saneamento com tecnologias sociais, produção de arroz ecológico e o viver em comunidade junto à natureza, hoje já espalhadas nos assentamentos urbanos e rurais do RS e do Brasil. Outro fator determinante na definição da área é a ameaça de implementação de projetos de mineração de carvão, que colocam em risco a biodiversidade, as práticas produtivas e a sustentabilidade ambiental da região. 
O movimento ambiental tem vivido momentos importantes e transformações que nos exigem organização e reflexão. Muito são os temas e desafios que enfrentaremos a partir da união, organização e ampliação do Movimento Ecologista Gaúcho (MEG). Assim, estamos chamando as entidades filiadas a APEDeMA e as não filiadas, que trabalham e militam de forma decisiva neste movimento que dialoga com grupos aliados e movimentos sociais populares. 
O encontro tem como objetivos a formação e troca de experiências, a sistematização, a busca de consensos e linhas políticas das lutas que o movimento tem enfrentado e que já prevemos que vamos enfrentar.
A primavera dos povos não inicia em nenhuma parte, ou pelo contrario, inicia por todas as partes, em cada lugar, onde hoje mulheres e homens estão experimentando maneiras de organizar-se em sociedade, as que priorizam a vida em lugar do material e do capital.
 Espirrais senhores do mundo? Deve ser o pólen que irrita o nariz. A primavera esta chegando, a primavera já chegou, é primavera!!!

ASSEMBLEIA PERMANENTE DE ENTIDADES EM DEFESA DO MEIO AMBIENTE
Coordenação Executiva Biênio 2009-2011
Núcleo Amigos da Terra Brasil – Instituto Biofilia – Centro de Estudos Ambientais

Secretaria Executiva
Rua Fernando Machado, 464
CEP 90.010-320 – Porto Alegre – RS
Email: apedemars@gmail.com
Site: http://www.apedemars.org.br

Clima feroz: Onda de calor pode ter matado milhares em Moscou, dizem cientistas

Clima feroz: Onda de calor pode ter matado milhares em Moscou, dizem cientistas 
Alguns milhares de moscovitas teriam morrido em julho em consequência da onda de calor sem precedentes que atingiu a região e essa cifra poderia aumentar no mês de agosto, disseram cientistas russos na terça-feira (17/08). 
Moscou, uma metrópole de mais de 10 milhões de habitantes, está sendo afetada por um calor intenso desde o final de junho, com temperaturas chegando a quase 40 graus Celsius durante o dia. 
A crise causou a redução de um terço da plantação de grãos da Rússia, cortando em bilhões o crescimento anual do país este ano e matando ao menos 54 pessoas nos incêndios florestais. O calor arrefeceu nesta terça-feira. Reportagem de Dmitry Solovyov, Agência Reuters.
 Leia mais no Portal ECODEBATE

Receita e Ibama interceptam 22 toneladas de lixo vindo da Alemanha

 Receita e Ibama interceptam 22 toneladas de lixo vindo da Alemanha 
Uma carga de 22 toneladas de lixo saiu de forma irregular do Porto de Hamburgo, na Alemanha, para o Brasil. O que deveria ser aparas de polímeros de etileno, resíduos de processos industriais reutilizados por empresas de reciclagem, era na verdade lixo doméstico urbano. 
A carga de detritos foi interceptada pela Receita Federal no Porto de Rio Grande, no estado do Rio Grande do Sul. Ao vistoriar o material, os fiscais do Escritório Regional do Ibama encontraram embalagens de produtos de limpeza, fraldas descartáveis e toda sorte de resíduos contaminados. 
A transportadora Hanjin Shipping foi multada pelo Ibama em R$1,5 milhão de reais e notificada a devolver o lixo para a Alemanha em dez dias, contados a partir do recebimento do ofício emitido no último dia 13. O não cumprimento do prazo estabelecido implicará em nova multa e o infrator será considerado reincidente. 
A empresa importadora Recoplast Recuperação e Comércio de Plástico, com sede em Esteio/RS, recebeu multa de R$ 400 mil reais “por importar resíduos sólidos domiciliares de origem estrangeira, produtos perigosos à saúde pública e ao meio ambiente, em desacordo com a legislação vigente”. 
A chinesa Dashan, de Hong Kong, empresa responsável pela exportação do lixo desde Hamburgo, anotou em documentos, acobertados pelo conhecimento de embarque (Bill of Landing), registro HJSCPRG 000.684.700 de 21 de junho de 2010, que o material seria proveniente da República Tcheca. 
O presidente do Ibama, Abelardo Bayma, declarou “que o não cumprimento dos acordos internacionais é uma afronta aos países signatários e, nesse caso, um desrespeito ao Brasil e a sociedade brasileira no sentido de manter um meio ambiente íntegro para o bem comum”. 
Bayma se refere à Convenção de Basileia, que leva o nome da cidade suíça onde foi firmada, em 1988. O acordo internacional visa estabelecer mecanismos de controle sobre a movimentação de resíduos perigosos entre países com o objetivo de garantir a segurança ambiental e a saúde humana, em termos de transporte, destinação, produção e gestão desses resíduos.
 Leia mais no Portal ECODEBATE

MA: Comunidades ribeirinhas são assediadas por mineradoras

MA: Comunidades ribeirinhas são assediadas por mineradoras 
A pressa na “regularização” da exploração de pedra brita em Rosário e municípios adjacentes é para atender a demanda da terraplanagem da área da Refinaria Premium. Vou fazer um resumo da situação. A extração da brita está intrinsecamente associada a de areia. O alvo são as comunidades mais próximas para redução de custos. As várias mineradoras já existentes na região (que atormentam a vida de comunidades mais próxima – explosões com lançamento de pedras a quilômetros e rachaduras nas casas) aumentam a sua produção, mas estão longe de atender a demanda. A ordem é expandir a qualquer custo.
Foto: Arquivo Fórum Carajás
Leia mais no Portal ECODEBATE