segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Promessas de Berlusconi não freiam crise do lixos em Nápoles


Promessas de Berlusconi não freiam crise do lixos em Nápoles
As promessas do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, sobre uma rápida solução para a crise do lixo na província de Nápoles, no sul da Itália, não conseguiram acalmar os ânimos dos moradores da região, onde nas últimas horas voltaram a ocorrer distúrbios.
Pela terceira noite consecutiva, a localidade de Terzigno foi o centro nevrálgico de violentos protestos de inúmeros grupos de moradores contra a abertura de um novo depósito de lixo, que será o maior da Europa.
Os moradores enfrentaram a Polícia, lançando pedras, garrafas e coquetéis molotov. Para contê-los, os agentes com gás lacrimogêneo e uma dura carga contra os manifestantes, informam os meios italianos.
Como consequência desta situação, os funcionários das empresas não estão conseguindo recolher o lixo da população e o acúmulo de resíduos nas ruas já supera as 2 mil toneladas. Cinco policiais ficaram feridos nas últimas horas, assim como um cinegrafista.
Os agentes atuam para escoltar os caminhões de lixo até o depósito de Terzigno, local que tem sido alvo de grande parte dos distúrbios nos últimos dias.
Os novos incidentes ocorreram algumas horas após Berlusconi dizer que a crise será resolvida em dez dias, uma promessa feita em entrevista coletiva em Roma, depois de uma reunião ontem do gabinete de crise.
 
Fonte: Terra Brasil
 A crise do lixo em Nápoles provoca novas badernas
Manifestante tenta bloquear caminho de policiais durante protesto contra abertura de novo aterro sanitário em Terzigno, Itália 
Por Vera Gonçalves de Araújo
De Roma 
Um dos elementos fundamentais da vitória eleitoral de Silvio Berlusconi em 2008 foi a promessa de solução da crise do lixo em Nápoles. Tanto que as primeiras reuniões do novo gabinete de direita aconteceram na cidade mais importante do sul da Itália, e - aparentemente - a crise parecia resolvida poucos meses depois da posse de Berlusconi. 
Mas esconder a sujeira debaixo do tapete nunca deu certo, como qualquer dona ou dono de casa sabe muito bem. A situação de hoje - dois anos depois do proclamado e badalado milagre do lixo desaparecido - continua gravíssima. A cidade está sufocada, fedorenta, suja, cheia de ratos. E o pau come solto nos arredores, principalmente em Terzigno, a 20 km da capital da Campania, nas encostas do vulcão Vesúvio. Os cidadãos desesperados de Terzigno estão tentando evitar a abertura de um novo aterro sanitário no território municipal, e a polícia tenta restabelecer a ordem com os meios tradicionais: cassetetes, jatos d'água, pancadas. 
Leia mais em Terra Brasil

Nenhum comentário: