quinta-feira, 24 de junho de 2010

Lixão ou Aterro?? O que você acha ou tem certeza, amigo Internauta??

Isto se parece com Lixão a céu aberto ou aterro controlado?
Para o Prefeito de Tapes, em matéria de Jornal da região, o Gazeta Regional, respondendo as criticas dos ambientalistas do Movimento Os Verdes de Tapes, ele diz que não existe Lixão e sim um 'Aterro Controlado'. Pois sim!
Após mais esta jactância desprovida de intelecto de Sua Excelência (o prefeito de Tapes), encontramos como forma de manifesto "novamente" enviar ao Ministério Público da cidade uma petição, esta já publicada na integra em nosso Blog na semana passada.
O fato é que o Lixão da Camélia faz jus ao nome dado, "pois é o que é", e não o que "querem que pareça" para a sociedade de Tapes, de que aquele local está em condições de operações e se chama 'Aterro Controlado!' Isso mesmo, vejam as imagens de ontem (23/06) entre 17 e 18 horas e tire suas conclusões.
Falta a Licença Ambiental há quase quatro anos e é Aterro?? Pode??
Em matéria de jornal de circulação regional (Gazeta Regional – edição nº 1214 – 04 de junho 2010 – pág. 04 e 05), novamente é posto a conhecimento da população Tapense a situação de manutenção de crime ambiental em meio aos Butiazais, em local conhecido e motivo de diversas ações do Ministério Público, visando o regular funcionamento deste Lixão, mas, que com o passar dos anos e as diversas negligências de parte da Administração Pública, tem mantido uma prática de desconsiderar a pertinência de documento do órgão ambiental do Estado para a operação regular daquele empreendimento poluente e degradante do ambiente.
Além de manter a “ilusão” e o argumento “de construção de aterro consorciado intermunicipal”, desta forma buscando mais protelação para o que já deveria ter sido tomada a atitude pelo fechamento daquele local, visto diversos laudos da FEPAM e do próprio DAT/MPE, que evidenciam a total falta de condições de operação daquele “aterro/lixão”.
Segundo a versão do Prefeito Municipal, este declara que o local “não é um lixão” e sim um “aterro controlado”, o que discordamos frontalmente, a partir dos registros dos últimos quatro meses em que a imagem de lixão é flagrante.
Cansados, novamente procuramos um órgão de defesa ambiental para cooperar com o assunto e recorremos ao CAOMA do MPE do Estado, pedindo a participação ativa na ação que pede o fechamento do Lixão da Camélia.
Pneus amontoados: Segundo informações, seriam para fazerem dutos para o chorume do buraco do lixão com águas infectas pelo lixo
Solicitamos em 23/06, provocando a iniciativa do Ministério Público do Estado, através do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente/RS, para que interceda e contribua com a ação que é movida contra a agressão ambiental plena, conforme as fotos acima apresentam os fatos deste crime ambiental que perdura no tempo 27 anos, para que o ambiente natural e o patrimônio da família aviltada de seu único bem, seja devolvido ao estado que se encontravam, recuperados e preservada a fauna e os recursos que ali existem. 
Isto não é um Lixão?? Parece um Aterro Controlado!!
REDE Os Verdes de Tapes
Imagens: Renata Silva Braga (23/06/2010)

Um comentário:

Renata disse...

e eles ainda acham que tem algum direito sobre o terreno para preservá-lo, sendo que o terreno está do jeito que está por culpa da própria prefeitura!!!