segunda-feira, 21 de junho de 2010

Ficha Limpa, sem meias palavras

Ficha Limpa, sem meias palavras
Por Sucena Shkrada Resk
Um ponto a favor dos direitos dos cidadãos, que inclui todos os eleitores deste país, e acima de tudo, uma resposta à iniciativa da população, no ano passado, composta por mais 1,6 milhão de assinaturas. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proferida anteontem (17), deixa claro que não há meias medidas da validação da Ficha Limpa, nas eleições 2010.
Portanto, os políticos condenados por órgãos colegiados antes da sanção da Lei nº 135/2010 (7 de junho), também estão inelegíveis por oito anos.
 A situação legal já deverá ser verificada, a partir de agora, no ato de registro das candidaturas. É bom destacar que, no hall de excluídos à candidatura, ainda estão os parlamentares que renunciaram ao mandato para evitar processos de cassação por quebra de decoro.
Esse saneamento sempre foi necessário e demorou décadas para ser enquadrado na legislação. Nada mais óbvio do que não termos nos quadros de nossa política, pessoas condenadas por crimes contra a administração pública, o sistema financeiro, ilícitos eleitorais, de abuso de autoridade, prática de lavagem de dinheiro ou formação de quadrilha, além de tráfico de drogas, tortura, racismo e trabalho escravo.
Nós, cidadãos brasileiros, muitas vezes somos enganados por falácias nas retóricas floreadas das falsas promessas, o que exige um nível de reflexão sobre essa complexidade cada vez maior. Pelo o menos, agora, em tese, estamos livres de pagarmos por meio de impostos e tributos, o salário de quem 'comprovadamente' lesou a sociedade.
Fonte: Associação Corrente Verde

Nenhum comentário: