domingo, 7 de março de 2010

Flórida/EUA lança temporada de caça de pítons para preservar Everglades

Flórida/EUA lança temporada de caça de pítons para preservar Everglades
Com o firme propósito de controlar a praga de serpentes píton que conseguiram se adaptar, inclusive, às zonas urbanas de Miami, autoridades da Flórida lançaram uma temporada especial de caça destes répteis e um programa para treinar quem decidir ir atrás de seu rastro.
A temporada de caça de serpentes píton começa na segunda-feira, 8 de março, e se estenderá até 17 de abril. Durante o período, os caçadores contarão com condições ideais para a prática, informou a Comissão de Conservação da Vida Silvestre da Flórida (FWC, na sigla em inglês).
Assim como as iguanas e outros animais de sangue frio acostumados a um habitat quente e tropical, as pítons sofrem com as pouco comuns quedas de temperatura que têm sido registradas na Flórida e saem de suas tocas para se expor ao sol, o que as deixa expostas, informou a FWC.
A entidade explicou que a intenção é controlar o crescimento populacional de vários tipos de serpentes, como as pítons indiana, africana e especialmente a birmanesa, que alcança até 8 metros de comprimento.
Estas serpentes são exógenas - não naturais - na Flórida. Elas fugiram de pet shops e de casas onde eram criadas como animais de estimação, especialmente durante a passagem do furacão Andrew, que atingiu Miami e o sul da Flórida em 1992, e encontraram nas áreas de pântano da Flórida um local ideal para sua reprodução.
"Uma vez mais convocamos nossos participantes, neste caso a comunidade de caçadores, para que nos ajudem a reduzir o número destes répteis que são causa de preocupação nos Everglades (a reserva de pântanos do sul da Flórida)", disse o presidente da FWC, Rodney Barreto.

As serpentes se alimentam de aves e mamíferos protegidos da reserva, informou a FWC, que alerta que, como não têm um predador natural, as píton se reproduzem com facilidade, aumentando rapidamente sua população.
Em autópsias feitas em algumas pítons da Flórida foram encontrados gatos, coelhos, cães, rapozas, esquilos, guaximins e até jacarés.
Os caçadores interessados em participar do programa realizaram nos últimos dias um curso sobre como detectá-las e capturá-las, e sobre o que fazer com a caça. As pítons são comestíveis e cada 30 centímetros de sua pele vale 5 dólares, segundo a FWC.
Fonte: G1
Em Rede: Ambiente Brasil

Nenhum comentário: