quarta-feira, 31 de março de 2010

Abobados da enchente Por Claudio Dilda

Abobados da enchente
Por Claudio Dilda
A enchente de abril e maio de 1941 - há quase sete décadas - resultou de precipitações de 791 milímetros. O lago Guaíba atingiu a cota de 4,75 metros, inundando Porto Alegre. Tal foi o impacto sobre a população que gerou a expressão ‘abobados da enchente’. A construção do Muro da Mauá, no início dos anos 1970, com 2.647 metros de comprimento e três metros a partir da superfície, constituiu-se em proteção e em obstáculo para o acesso e a visão, dos pedestres, de um dos mais belos cenários naturais do Parque Delta do Jacuí.
Daí também ser conhecido como muro da discórdia. Há tempo vem sendo discutida a revitalização do Cais Mauá. Projetos e propostas entraram e saíram do Piratini e do Paço municipal. Afinal, trata-se de área portuária sob administração do Estado em território do município de Porto Alegre. Há um Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental.
Puerto Madero, em Buenos Aires, tem sido a referência por excelência. Estudos e projetos. O Cais Mauá precisa ser revitalizado (rentável), segundo os investidores. Edifícios para hotéis, escritórios, lojas, mercados, restaurantes, bares, oportunidades de lazer para a população em geral. Como em Puerto Madero?
Será que a revitalização do Cais Mauá não seria mais consequente se reativados os transportes fluviais e lacustres, de cargas e passageiros? Em momento crucial em que a lógica mostra a necessidade de mudança da matriz de logística no País - hoje dependente do transporte rodoviário, com sucateamento das ferrovias e hidrovias - não pode ser desprezada estrutura existente e apta à dinamização.
Como ficará o trânsito de veículos na região Central e em uma Mauá já engasgada? Essa área corresponde a uma das regiões de Porto Alegre com problemas de qualidade do ar provocados pela intensidade do tráfego de veículos. Por que não adequar o espaço do antigo Estaleiro Só para os fins propostos para o Cais Mauá? Continuamos abobados da enchente!
*Claudio Dilda é Professor e assessor de meio ambiente
Fonte: Rede Os Verdes/Recebido por e-mail

Nenhum comentário: