sexta-feira, 6 de novembro de 2009

ONU cobra do Brasil meta clara de corte de gases-estufa

Imagens: Internet
ONU cobra do Brasil meta clara de corte de gases-estufa
Através de seu principal diplomata para questões de clima, Yvo de Boer, a ONU pediu também que o país apresente o número antes da conferência do clima.
A ONU (Organização das Nações Unidas) cobrou do governo brasileiro nesta quinta-feira uma meta clara de corte das emissões dos gases-estufa, informa reportagem de Roberto Dias, de Barcelona, para a Folha (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).
Através de seu principal diplomata para questões de clima, Yvo de Boer, a ONU pediu também que o país apresente o número antes da conferência do clima, no mês de dezembro, em Copenhague.
A cobrança ocorre dois dias após o Brasil sinalizar que pode não apresentar um compromisso de redução para a conferência. Para De Boer, a estratégia brasileira de mudança climática já pode ser quantificada.
O único consenso no governo até o momento é em reduzir o desmatamento na Amazônia em 80% até 2020. Já há estudos feitos sobre como atingir a meta sem afetar o crescimento do país, mas o governo continua dividido.
Para a Indústria, o Brasil deveria definir metas para a redução da emissão de gases de efeito estufa só após a reunião da Conferência da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre Mudanças Climáticas, em Copenhague, marcada para dezembro.
"A meta não é fundamental para Copenhague, a meta é fundamental para depois. Quando entrar em um jogo que eu sei qual são as regras, aí eu tenho que traçar meus objetivos. Nossa estratégia em relação ao clima, ela não termina em Copenhague, ela começa lá", afirmou o diretor-executivo da CNI (Confederação Nacional da Indústria), José Augusto Fernandes, nesta quinta-feira (5/11).
Fonte: FolhaOnline

Nenhum comentário: