segunda-feira, 19 de outubro de 2009

No Brasil da Riqueza e da Pobreza, Coluna Lula desbrava o nordeste

Imagens: Internet/ JC3 - Blog do Jamildo

"Coluna Lula" acampa em obra bilionária no Rio S. Francisco

Trecho do rio em Pirapora, Minas Gerais, por onde passa o pelotão da "Coluna Lula"

Por Bob Fernandes e Claudio Leal em Arcoverde (PE)

A transposição de prefeitos, deputados, senadores, ministros, governadores, jornalistas e presidente da República para as barrancas do Rio São Francisco, a partir desta terça-feira, mobiliza uma "Coluna Lula", articulada para deixar claro a dimensão da viagem de três dias do presidente da República por Minas, Pernambuco e Bahia. Viagem de números superlativos e de contornos nada franciscanos no cenário das sucessões presidencial e estaduais.
Os ministros serão quatro, os governadores, oito, e The Economist (segundo a presidência, embarcaria na quarta), Der Spiegel, Le Monde e BBC integram a comitiva de 26 jornalistas desde a segunda-feira nas beiradas do São Francisco. A "Coluna Lula" mobiliza pelo menos 150 funcionários federais, o avião reserva da Presidência, dois aviões Casa e três helicópteros. Reserva também alguma disciplina militar da Coluna Prestes.

Ainda no capítulo dos superlativos: a obra, apenas a primeira etapa de todo o projeto, teve licitados R$ 4,5 bilhões. Estimam-se até mais R$ 2 bilhões para concluí-la. Até 2025, segundo as projeções dos ministérios envolvidos, 12 milhões de pessoas serão atendidas na região. Somente no eixo Leste - previsto para ser entregue em 2010 - 4,5 milhões de atingidos. (Com base em projeção da população para 2025).
Entre quarta e sexta feira o presidente Lula dormirá nos acampamentos pernambucanos Lote 11, em Custódia (Eixo Leste), e Lote 1, em Cabrobó, Eixo Norte e o mais polêmico da obra borbulhante de polêmicas. São 8.400 trabalhadores e 4.500 máquinas, segundo Frederico Fernandes, o coordenador regional do projeto.
O acampamento nas obras do principal programa do governo no Nordeste, o de integração do Velho Chico com outras bacias hidrográficas (mais conhecido como "transposição" das águas fluviais para o semi-árido), deve mobilizar e levar aos pontos nevrálgicos os governadores de Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Ceará.
No pelotão da "Coluna Lula", a ministra-chefe da Casa Civil e pré-candidata à presidência, Dilma Rousseff, e os ministros Geddel Vieira Lima, Franklin Martins, Carlos Minc, incluído também o comandante do Exército, general Enzo Peri, da arma responsável pela "infantaria" que iniciou a primeira etapa da transposição.

Aécio Neves, pré-candidato do PSDB, integra a porção Minas do mega-acampamento. Na revoada de governadores aos canteiros, há mais do que nuances da sucessão eleitoral e do embarque na campanha governista em 2010. Parte das disputas estaduais será protagonizada pelo governador Jaques Wagner (PT) e o ministro da Integração Nacional, Geddel Veira Lima. Ambos prenunciam a briga pelo governo baiano, com a expectativa de palanque duplo na Bahia.
A expedição presidencial sobrevoará cerca de 713 km, entre visitas a obras e deslocamentos do trecho Leste para Norte. Lula e "Coluna" irão a, no mínimo, sete pontos.
Dois dias antes da chegada do presidente, que desembarca na quarta-feira, 26 jornalistas aterrissaram em Arcoverde (PE) para conhecer previamente o andamento do projeto. A cidade do agreste pernambucano, que tem 68 mil habitantes, alterou sua rotina no início da noite desta segunda-feira, 12, na expectativa de ver Lula no desembarque dos aviões da FAB. O movimento de helicópteros impõe o uso de câmeras e de celulares.
Em Arcoverde, há uma profusão de lan-houses, templos evangélicos e farmácias. No cinema Rio Branco, fundado em 1917, seguem em cartaz os filmes "Os Normais 2", "Scooby-Doo!", "Apaixonados" e "Mulher Invisível". O roteiro presidencial engloba ainda as cidades de Custódia, Floresta, Cabrobó, Salgueiro (PE), Buritizeiro, Pirapora (MG), Xique-Xique e Barra (BA).
As obras de Transposição do Rio São Francisco são criticadas pela Comissão Pastoral da Terra e movimentos sociais ligados aos ribeirinhos. Os opositores do projeto denunciam o predomínio do uso econômico da água (para irrigação e indústria), as debilidades físicas da bacia doadora, a degradação e o assoreamento do rio, além da alteração do regime fluvial. O programa de revitalização também é criticado por priorizar o esgotamento sanitário, em vez de investir na recuperação das matas ciliares.
"A verdadeira revitalização só será possível com a garantia dos territórios das populações tradicionais, que tem o rio como fonte de vida. São os pescadores artesanais, os vazanteiros, geraizeiros, povos indígenas e quilombolas que produzem alimentos e preservam o rio", diz um panfleto da Articulação Popular pela Revitalização do São Francisco, que vai ser distribuído durante a passagem da comitiva presidencial.
O bispo de Barra, dom Luiz Cappio, fez duas greves de fome contra o projeto do governo Lula. Pessoas próximas ao religioso afirmam que ele não pretende estar em Barra durante a visita do presidente. Mas há articulações para protestos. Fonte: Portal Terra

Nenhum comentário: