.

.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Alerta de Tsunami na Ásia

Imagem: Internet
Terremoto atinge Indonésia e provoca novo alerta de tsunami
Tremor de 7,6 graus danifica prédios e causa incêndios na ilha de Sumatra; não há informações sobre vítimas
Do Estadao.com.br
JACARTA - Um forte terremoto de magnitude 7,6 atingiu a costa da ilha de Sumatra, na Indonésia, afirmou o Serviço Geológico dos Estados Unidos nesta quarta-feira, 30. O Centro de Alerta de Tsunamis do Pacífico emitiu um alerta para Indonésia, Malásia, Tailândia e Índia, que foi cancelado horas depois. Segundo autoridades, prédios grandes foram "destruídos" na Indonésia.

Ato Show do Fórum de Servidores Públicos Estaduais

Este é o Convite para o Ato Show do Fórum dos Servidores Públicos Estaduais, pelo Impeachment da Yeda - Domingo dia 04 de outubro, a partir das 15 horas em frente ao Praia de Belas.
Segundo informação da equipe de divulgação de que - nenhum - veículo de comunicação das "grandes redes" de mídia no Estado querem veicular o material.
Decidiram não aceitar o anúncio.
Vejam que, nesse caso, nem as regras do capitalismo que eles defendem servem para o caso.
A divulgação do Ato terá de ser via internet, blogs, materiais dos sindicatos e das ONGs, twitters e outros veículos da mídia alternativa e da esquerda.

Fonte: Sintrajufe-RS/via e-mail

O degelo no topo do mundo

Foto: Wikipédia
O Planalto Tibetano situa-se entre o Himalaia a sul e o Deserto de Taklamakan a norte.
O degelo no topo do mundo
Ao falar na Organização das Nações Unidas esta semana, o presidente Hu Jintao da China declarou que seu país “reconhece totalmente a importância e a urgência para lidar com a mudança climática”. Como deveria. A China está começando a perceber que tem muito a perder com o dióxido de carbono que o mundo emite despreocupadamente na atmosfera da Terra. Reportagem de Orville Schell, The New York Times.
As palavras de Hu me fizeram lembrar-me de um dia, há não muito tempo, em que estive numa plataforma a 4.260 metros acima do nível do mar, cercado por grupos de turistas chineses vestidos com parcas coloridas.
Um teleférico havia nos levado tão perto dos picos íngremes da Montanha de Neve Dragão de Jade e do glaciar que se estende pelo seu flanco. As pessoas tiravam fotos da massa de gelo alegremente, parecendo inconscientes do desastre que se desenrolava à sua frente.

A monocultura que vai terminar na pobreza

Imagem: Internet
A monocultura que vai terminar na pobreza
Por Paulo Mendes Filho (*)
Uma cidade, Encruzilhada do Sul. Uma monocultura, eucaliptos. Uma situação insustentável. Miséria, favelas, pobreza e desilusão que tende a piorar. Basta conhecer, observar e conversar com as pessoas, com os agricultores e as agricultoras familiares do município para perceber o que está em curso. A monocultura dos eucaliptos modificou a paisagem, a economia e principalmente a estrutura social do município. Indo lá, vendo e conversando, observamos que a invasão dos capitalistas está desequilibrando rapidamente a paisagem da região e a estrutura social e econômica da cidade.
Quem ainda não vendeu suas terrinhas e insiste em ficar, convive com as visitas dos desesperados animaizinhos que fogem da invasão. São mulitas, mão-pelada, gato-do-mato, ratões e capivaras famintos que devoram tudo que veem pela frente. As plantações, os maciços estão cada vez mais absorvendo a paisagem e desalojando tudo que ali existe. As matas ciliares estão cercadas e desprotegidas pela baixíssima possibilidade de alguém conferir se está dentro ou não da lei ambiental. Falando em lei, a conversa é de que existem dois pesos e duas medidas. A dureza da lei ambiental para os agricultores e a moleza para os empresários da monocultura.
Tudo remando a favor dos novos senhores da terra, da energia e da água. Tudo a favor para que os resistentes e teimosos agricultores tradicionais e os ecochatos abandonem suas terras e suas ideologias a favor do império. O poder público propagandeando empregos de papel e sinalizando impostos que serão sonegados, apóia o projeto de olho nas contribuições de campanha. A adesão individual de alguns técnicos do poder público também é observada. Uma invasão de poucos e grandes empresários que está sendo facilitada e apoiada estrategicamente pelo governo Yeda e por vários governantes municipais. Incentivando politicamente o plantio.
Recebendo recursos das empresas. Facilitando créditos. Modificando o zoneamento ambiental da silvicultura. Desestruturando a Fepam e a Emater (Extensão Rural) e permitindo a prática do fato. Encontra-se em curso a maior ocupação de terra do Rio Grande do Sul por parte de um único grupo. Um verdadeiro império! Uma verdadeira Encruzilhada ou quem sabe uma grande Cruzada rumo ao poder concentrado da energia, da água e da terra. É disso que estamos falando. A expansão de um único dono em mais de um milhão de hectares com a destruição de comunidades rurais, deslocamento de famílias inteiras para a favelação nas cidades e a concentração de poder. Esta nova situação vai influenciar por anos a vida da sociedade gaúcha.
A mesma sociedade que é desrespeitosa com a luta de milhares pela Reforma Agrária abre as pernas para a invasão de uma única empresa que vai aumentar a violência das cidades.A busca pela energia (pasta de celulose), a terra (poder estratégico) e água (Aquifero Guarani) faz com que a invasão tome conta de tudo rapidamente. Não há tempo a perder. Planta logo que o poder garante. Em nossas barbas, está se estruturando o maior império do século XXI. Uma dominação que vai influenciar gerações futuras. Que vai excluir milhões de pessoas e vai concentrar poder e capital para poucos. Uma dominação sem precedentes que trará a insustentabilidade do nosso Estado.
(*) Diretor do Semapi - Sindicato dos Empregados em Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas e de Fundações Estaduais do RS.

Receitas Verdes do Novo Ambientalismo

Imagem: Internet
Receitas Verdes do Novo Ambientalismo
Artigo de Carol Salsa
A crise financeira que assola os países desde fins de 2008 proporciona um revolvimento de suas bases econômicas, numa busca incessante de novas e esperançosas acomodações financeiras, sociais, ambientais e culturais que permitam lastrear um novo conceito de sustentabilidade em todo o mundo.
O paradigma em que valores ecológicos se impõem aos valores econômicos serve de alerta para o necessário ajuste do andamento a ser dado ao crescimento sustentável, fundamentado no novo ambientalismo. O Estado do Mundo, anteriormente tido como fruto de um modelo equivocado de economia que insistia em dar certo, precisa acompanhar e incorporar a evolução das idéias interpostas nesse período crítico de inusitadas definições, necessárias ao estabelecimento do novo paradigma ambiental.

Leia mais em > http://www.ecodebate.com.br/2009/04/01/receitas-verdes-do-novo-ambientalismo-artigo-de-carol-salsa/

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Comunidade unida de Anitápolis derrubam planos de exploração da Bunge e Yara

Uma paisagem de rara beleza é protegida em Anitápolis/SC
Parabéns à todos pela Vitória!
Liminar concedida pela Justiça suspende licença para Fosfateira, saiba mais >
http://salveanitapolis.blogspot.com/2009/09/justica-concede-liminar-suspendendo.html

Montanha Viva ganha liminar contra a Fosfateira da Bunge e Yara

MONTANHA VIVA GANHA LIMINAR CONTRA A FOSFATEIRA DA BUNGE E YARA
Tamanho nao é documento. A Montanha Viva (www.montanhaviva.blogspot.com) ganhou hoje a liminar contra o licenciamento da fosfateira da Bunge Yara em Anitapolis. Esse empreendimento coloca em risco a vida de mais e 200 mil pessoas, as nascentes do Rio Braço do Norte e o Corredor da Serra Geral.
Mais informações sobre a Causa entre em > http://salveanitapolis.blogspot.com

SC em Alerta: Vendaval ou Tornado, de quem é a culpa?

Vendaval ou tornado, de quem é a culpa?
Vendaval ou tornado? A Defesa Civil ainda não pode afirmar que fenômeno atingiu o Sul catarinense no fim de semana. A vistoria dos meteorologistas da Epagri/Ciram na área atingida por ventos de até 82 quilômetros por hora não tem data para ocorrer, e a ausência de dados confiáveis é o principal motivo para a confusão entre os duas ocorrências comuns no Estado.
Se a definição dos fenômenos ainda gera dúvidas, a pesquisa do Grupo de Estudos de Desastres Naturais (GEDN), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mostra que, historicamente, as violentas perturbações atmosféricas são mais frequentes na primavera e no verão.
Dados compilados no Atlas de Desastres Naturais, de 2007, mostram que houve 43 tornados em SC entre 1980 e 2003, distribuídos em diferentes regiões do Estado e com prejuízos estimados em R$ 16 milhões.
Leia mais em > http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2668894.xml&template=3898.dwt&edition=13216&section=846

Evento discute expansão da energia nuclear no país

Evento discute expansão da energia nuclear no país
Para expor os planos de expansão da energia nuclear nos próximos anos no país, a Eletronuclear promove, no dia 2 de outubro (sexta-feira), o seminário “Energia Nuclear: Desmistificação e Desenvolvimento”, no centro do Rio de Janeiro.
A inscrição é gratuita, mas as vagas são limitadas.
A abertura do evento será feita pelo presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes. Ele vai tratar da empresa que comanda e dos desafios do desenvolvimento do país.
Na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve um encontro com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, em Nova York. Conversaram sobre energia nuclear. Lula afirmou à imprensa que o Irã tem o mesmo direito do Brasil e de diversos outros países de explorar este tipo de energia, desde que com fins pacíficos. Para o presidente do Brasil, o Irã é um “grande parceiro”.

Leia matéria completa em >
http://www.conjur.com.br/2009-set-28/eletronuclear-promove-evento-discutir-expansao-energia-nuclear

Projeto Ficha Limpa: Congresso recebe abaixo assinado com 1 milhão e 300 mil assinaturas

Imagem: Último Segundo
Câmara recebe projeto sobre ficha limpa e admite mudanças
Por Sarah Barros, repórter em Brasília

BRASÍLIA - A Câmara dos Deputados recebeu nesta terça-feira projeto de lei de iniciativa popular que tem o objetivo de impedir a candidatura de pessoas com condenação em primeira instância da Justiça por crimes praticados contra a administração pública e o patrimônio público ou por tráfico de drogas e estupro, entre outros. O presidente da Casa, deputado Michel Temer (PMDB-SP), afirmou que dará tratamento especial ao projeto que institui a ficha limpa em candidaturas.
Temer lembrou a tramitação de projeto de iniciativa popular aprovado há dez anos, que tipificou o crime de compra de votos. A proposta foi aprovada após sete semanas de avaliação na Casa. “Espero que este tenha a mesma tramitação. É claro que quando um deputado ou senador apresentam um projeto, ele vem para ser examinado. O Congresso Nacional vai ter a liberdade de sugerir modificações”, ponderou.

Leia mais em > http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/09/29/camara+recebe+projeto+sobre+ficha+limpa+e+admite+mudancas+8699407.html
Fonte: Último Segundo

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Amazônia pode 'morrer' em 50 anos, diz estudo

Imagem: Internet
Amazônia pode 'morrer' em 50 anos, diz estudo
A floresta amazônica poderia "morrer" em 50 anos por causa de mudanças climáticas provocadas pelo homem, sugere um estudo internacional publicado na revista especializada Proceedings of the National Academy of Sciences.
Segundo o estudo, muitos dos sistemas climáticos do mundo poderão passar por uma série de mudanças repentinas neste século, por causa de ações provocadas pela atividade humana.
Os pesquisadores argumentam que a sociedade não se deve deixar enganar por uma falsa sensação de segurança dada pela idéia de que as mudanças climáticas serão um processo lento e gradual.

Temperatura na Terra pode subir até 4°C em apenas 50 anos

Temperatura da Terra poderia subir 4ºC em apenas 50 anos, diz estudo
Um relatório do principal centro de pesquisas sobre mudanças climáticas da Grã-Bretanha alertou nesta segunda-feira para um aumento de 4º C na temperatura do planeta em apenas 50 anos caso as emissões de carbono não sejam reduzidas em breve.
O estudo do Centro Hadley, financiado pelo governo britânico, constitui o alerta mais grave já divulgado sobre o aquecimento global desde que o Painel Intergovernamental sobre a Mudança Climática (IPCC), órgão científico da ONU, estimou em 2007 que a temperatura do planeta pode subir entre 1,8ºC e 4ºC até o fim deste século.

Por BBC Brasil, http://www.bbc.co.uk/portuguese
Contexto original:
http://verde.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=21946985
Saiba mais nestes links abaixo:
Degelo na Antártica e na Groenlândia surpreende cientistas
Por Alister Doyle

http://verde.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=21868802

Fernando 'Incinerando' Gabeira

Imagem: Internet
Fernando ‘Incinerando’ Gabeira
artigo de Ana Echevenguá
“Na natureza nada se cria tudo se transforma – sou fã incondicional da teoria do Lavoisier. Nada pode ser deletado. Sou contra qualquer tipo de incineração. Não adianta incinerar o lixo: é preciso educar, conscientizar”. Américo Canhoto, médico, educador, autor dos livros “Saúde ou doença: a escolha é sua”, “Quem ama cuida”, “Educar para um mundo novo”, “Pequenos descuidos grandes problemas”, entre outros.
No primeiro mundo, o incinerador de resíduos virou obsoleto devido à sua comprovada letalidade. Com isso, os donos desse maquinário querem implantá-lo no Brasil e demais países sul-americanos.
Mas tais empresas omitem que a queima não destrói os resíduos; apenas os transforma em cinzas e vapores tóxicos, cancerígenos, que são lançados no meio ambiente, tais como:
- compostos nitrogenados, sulforados, metais pesados (chumbo, cádmio, mercúrio, …);
- emissão de gases com dioxinas e furanos, que se espalham na atmofera. Não tem como segurá-los. Isso é o tal do “agente laranja”, que os EUA usaram na guerra contra o Vietnã, nos anos 70

Hoje, o Código Florestal. Amanhã, a Constituição Federal?

Imagens: Google Earth
Hoje, o Código Florestal. Amanhã, a Constituição Federal?
Reserva Legal: Debate em Tapes e a preocupação com outras coisas
O setor político que dá sustentação ao modelo “ruralista” do “agribussines” brasileiro, e de sua “causa pétrea” que é a derrubada das leis ambientais no Brasil, demonstra preocupação, e certo medo, de que suas iniciativas buscando um modelo “desenvolvimentista” louco, com apoio de parte do Governo Federal bem como de setores ruralistas e empresariais aquinhoadas na política nacional, que querendo mexer no Código Florestal Brasileiro, estejam na verdade ensaiando a grande “mexida” na Constituição Federal, que em breve, na medida em que a “mentira” de golpe militar em Honduras for paulatinamente dita pelo “xerife” sul-americano, para virar “verdade”, irão preparar o campo para alterarem a “nossa” Constituição Cidadã, aprovada em 1988.
A exemplo do país da América Central, aqui na terra das Bananas e quintal dos “Yankees” (não é time de futebol americano), a distribuição de R$ 24 bilhões em “brinquedinhos” aos militares e o aumento da “Bolsa Família” para o povo, calarão a nação que verá, quem sabe, a tentativa de um terceiro mandato do “Lullismo de resultados” do atual governo. “Não vai ser Golpe!”
A preocupação e o medo estão impostos nisso tudo, mas, “quem é o Inimigo da nação brasileira”? Abordo tal assunto para afirmar que “virá de cima para baixo” decisão qualquer na área ambiental brasileira, como a exemplo da medida de editar índices de produtividade elevados para o setor agrícola, condenando as áreas naturais e o discurso pró-ambiente do Palácio do Planalto ao desaparecimento.
Na realidade, dia seguinte da Audiência Pública em Tapes (RS), ou melhor, na “calada da madrugada”, as Unidades de Conservação perderam o tamanho. “Na surdina, o Congresso Nacional reduziu o tamanho das Unidades de Conservação” na MP 462 (destinada originalmente a ajudar os municípios a enfrentar a queda de receitas provocada pela crise financeira internacional), que nada tinha a ver com o assunto “UCs”. Parecem mesmo terem tomado gosto por atos secretos, obscuros e afins os políticos brasileiros.*
Voltando a realidade de nossas matas nativas, em beiras de sangas, nas margens da lagoa e nos banhados, nas áreas de restinga, nas dunas e em todo o nosso ecossistema, que correm sérios riscos com a edição da PL 154 da Comissão de Agricultura da AL/RS que propõe a revogação de toda a legislação ambiental do Estado, se preocupam os promotores de tais idéias, “de que tudo vá por água abaixo”, assim como as margens dos rios sem vegetação de APP, destinada a evitar a erosão dos rios e seu assoreamento, pois a Justiça está atenta, e a “inconstitucionalidade” do proposto é patente. Não revogaram os artigos do Código Florestal “ainda”, e vai demorar alterarem a CF/88.
Pois bem, no dia desta audiência havia empresários do ramo arrozeiro que pensam que ambientalista não sabe do que trata toda esta “mudança” na legislação ambiental, e que confundem APP com Reserva Legal, misturando-as. Deveria este procurar se informar sobre a “proposta” de Reserva Legal ZERO vinda do setor do qual faz parte no nível nacional, e que quer “somar” as APPs na RL para computar esta área como Reserva de proteção ambiental das propriedades. Isto sim é misturar o assunto.
E dizer que não conhecemos do assunto, é o mesmo que confirmar que também o “desconhece”, quando da existência de um crime ambiental em extensas áreas de mata na zona costeira interna da laguna dos Patos, próximas a região da sanga das Capivaras, após esta ao sul de nosso território e outras tantas que foram dizimadas e destruídas toda a vida animal e vegetal que ali habitava, sob pena do infrator ter sofrido processo, multas pesadas (que depois foram aliviadas) e incorrido em mais do que um crime previsto na lei, nos papéis, e sim um crime contra a “Vida” daqueles que necessitavam viver, e que em vários pontos de nossa região “ambiental” tapense, são agredidas suas formas de vida e habitat, quando banhados são drenados, quando valas cortam matas nativas intocadas, quando matas em dunas são devastadas.
Tudo isso feito por “alguns”, pois a grande maioria que conheço, usa o bom senso em determinados casos, até mesmo por que anteriormente, as áreas já estavam devastadas, e muitas propriedades e proprietários tem se utilizado da idéia da recuperação ambiental, visando não o cumprimento de leis, mas sim a qualidade de vida de suas famílias e de manutenção de lucros com os recursos naturais conservados e protegidos. A água é o melhor exemplo disso que lhes escrevo, que é utilizada em 70% de seu volume para atender o setor produtivo, e que ainda, “alguns” procuram “provas” de que um Quilo de arroz gasta tantos Litros de água. Sabemos que o agricultor necessita da água para a sobrevivência de suas culturas agrícolas, e entendemos ser pertinente a adoção de medidas voltadas a educação daqueles que “ainda não sabem” sobre isso. Urge esta ação educativa ecológica no meio rural.
Então, voltando à realidade das leis, se elas funcionassem mesmo, a lei municipal que trata do Código de Posturas seria aplicada, quando a “cidade cresce” para cima e para os lados e o cano pluvial em que é feita a ligação, famosa ligação “mista” é o mesmo, do mesmo tamanho, e quando aumenta a produção de esgotos, acabarão os resíduos orgânicos, águas residuais das pias e banheiros, chegando ao destino comum das águas “pluviais – chuvas” e dos turistas e banhistas no próximo verão.
Sim, o esgoto é o mesmo que se produzia na casa que deu lugar para um prédio que aumentou em número de salas, e banheiros e no número de pessoas a utilizarem este símbolo do progresso. Enquanto a cidade cresce e as APPs e Reservas Legais desaparecem, e o discurso oficial é algo “surrealista” e logo tende a desaparecer, penso que devo me preocupar com outras coisas. Será que amanhã chove ou faz sol?
Júlio Wandam
Ambientalista
*com informações de O ECO

Araranguá/SC sofre com a segunda tragédia ambiental só no mês de setembro/2009

Imagem: Fotos de Sandro Ramos
ARARANGUÁ/SC SOFRE COM A SEGUNDA TRAGÉDIA AMBIENTAL SÓ NO MÊS DE SETEMBRO/2009
Depois de 5 anos da passagem do inédito Furacão Catarina, Araranguá é alvo novamente das conseqüências das mudanças climáticas.
Dependendo de avaliação mais precisa dos meteorologistas, mas deve se confirmar registro de um tornado que devastou boa parte da cidade de Araranguá na madrugada desta segunda-feira (28). A coordenação da Defesa Civil do município está tendo muito trabalho desde às 2hs da manhã. Os ventos causaram prejuízos em prédios públicos, comércios e residências e vários estabelecimentos amanheceram fechados devido aos estragos e a falta de energia, que só foi restabelecida em alguns pontos da cidade depois das 10:30h da manhã.
O nível do Rio Araranguá, que desde a madrugada está sendo monitorado, já passa dos 1,88m acima do nível normal. E já causa muita preocupação as comunidades que moram em áreas de risco.A escola Maria Garcia Pessi na Cidade Alta, que foi o bairro mais atingido, teve grande parte do seu patrimônio estrutural e histórico da escola destruído. O ginásio de esporte ao lado da escola teve seu telhado arrancado e as paredes do mesmo caiu sobre a garagem de uma casa vizinha. Outros grandes estragos foram registrados na agência do Banco SICOB, Centro das Fábricas e no posto Coral que teve sua estrutura toda comprometida. O que causou muita correria já durante a madrugada, com lojistas e moradores tentando salvar o que podiam. A Defesa Civil de Araranguá está disponibilizando lonas plásticas para os atingidos e já realiza todos os levantamentos dos danos na cidade.
O Prefeito Mariano Mazzuco lembra que “Este é o quinto desastre natural que sofremos em menos de um ano e meio, o segundo só este mês, o que nos acarreta em prejuízos incalculáveis”, lamenta novamente o prefeito.
E as previsões são de mais chuvas para o decorrer da semana, o que ainda deixa a Defesa Civil em alerta.
Plantão Defesa Civil de Araranguá Fones: 199 ou 48 – 3522-2123.
www.ararangua.sc.gov.br
Fonte: recebido por e-mail/Ana Echevenguá

Día de la libertad de los ríos, un hito en la historia ambiental

Día de la libertad de los ríos, un hito en la historia ambiental
Hace 12 años, la comunidad entrerriana se movilizaba para evitar la construcción de la represa en el Paraná Medio que culminó con la sanción de la histórica Ley Antirrepresas Nº 9092.

EJEMPLO. La ley de libertad de los ríos, convertida en el articulo 85 de la nueva constitución provincial, es motivo de orgullo para los ambientalistas, que señalan: “Nos representa a nivel internacional dado que es una normativa única en el mundo”.

Ayer se cumplieron 12 años de la sanción histórica de la Ley antirrepresas 9092. Desde la Fundación Eco Urbano hacen un poco de historia y recuerdan el trabajo precursor que Entre Ríos encaró a partir de esta iniciativa “que prohibió la construcción de represas en su territorio luego de que un histórico movimiento social en la región logró detener la construcción de la megarepresa en el río Paraná medio. Es a partir de esta sanción histórica en el mundo, que cada 25 de septiembre se celebra el Día de la Libertad de los Ríos”.Para que la fecha no pase inadvertida y recordar este hito ambiental, diferentes ONGs locales organizaron la proyección del documental “Paraná Medio, Historia de un amor”, que tuvo lugar este viernes en el salón Auditorio de la Facultad de Ciencias de la Educación, Buenos Aires 389. Las organizaciones socioambientales Fundación Eco Urbano, Ecoclub Paraná, proyecto Tierra, Baqueanos del Río y M’Biguá - Ciudadanía y Justicia Ambiental, invitaron a participar de esta proyección documental y recordaron parte de esta historia.

MOVIMIENTO.

“La ley de libertad de los ríos es un hito histórico para el movimiento ambientalista entrerriano; que ratifica su lucha y su fuerza una vez más en estos maravillosos 12 años. Esta ley, hoy convertida en el articulo 85 de la nueva constitución provincial nos llena de orgullo y nos representa a nivel internacional dado que es una normativa única en el mundo y en su tipo”, comentó Diego Rodríguez, de M’Biguá.En tanto Horacio Enríquez, de Eco Urbano subrayó: “El documental, producido por la Fundación Eco Urbano en el 2008, cuenta la historia de un grupo de hombres y mujeres que decidieron unirse durante los años 1996 y 1997 en un frente común de lucha y acciones contra el Proyecto de la Represa del Paraná Medio. Y destaca esta gesta histórica que marcó un antes y un después en los movimientos ambientalistas y sociales de toda la región”.“En el texto de la ley se declara libres de represas a los ríos Paraná y Uruguay originariamente y a partir de modificaciones se integró también el río Gualeguay. Además la norma ratificaba la atribución exclusiva de la provincia sobre iniciativas o proyectos de desarrollo para la región, lo que demuestra la actitud de avanzada que asumió Entre Ríos en el desarrollo de las normas complementarias ambientales a lo que desde 1994 estableció la Constitución Nacional”, agregó por su parte, Rodríguez.A este logro se suma la inclusión de la libertad de los ríos en el artículo 85 de la nueva constitución provincial que además, incorporó “una mirada de tutela sistémica de nuestros territorios ya que involucra también a los humedales y todos ecosistemas asociados”, añadió Enríquez.

Participación y lucha ambiental

La proclamación del 25 de septiembre como Día Internacional por la Libertad de los Ríos surgió en el marco del 1er. Encuentro de la Cuenca del Plata: por una Cultura del Agua”, que se desarrolló en Paraná en septiembre de 2006.En ese encuentro organizaciones socioambientales provenientes de la Argentina, Brasil, Bolivia, Paraguay, Uruguay, Costa Rica y Holanda debatieron sobre “el valor del Sistema de Humedales Paraguay – Paraná, los impactos de la integración de la infraestructura, la crisis pesquera, los daños causados por las represas y los movimientos ciudadanos frente al intento de radicación de plantas de celulosa en la cuenca del río Uruguay. Asimismo, los participantes coincidieron “en la necesidad de continuar y ampliar la defensa de la libertad de los ríos del mundo, atentos al preocupante escenario de nuevos proyectos hidroeléctricos y de navegación a gran escala, entre otras grandes obras de infraestructura y mega iniciativas que amenazan a las cuencas hídricas, proyectados principalmente en las naciones del sur del planeta”.Con el mismo espíritu, el documento instaba a la población y los gobiernos de turno a trabajar para “evitar la fragmentación total o parcial de los ríos y sus cuencas, así como superar la falta de legislación, instituciones y políticas de conservación y desarrollo adecuadas y promover la participación activa de los pueblos indígenas, y las poblaciones locales y tradicionales en la gestión democrática y en la protección a largo plazo de los ríos y humedales”.

Para destacar
Información. Los interesados en contar con más detalles o consultar materiales específicos sobre temas ambientales, pueden acercarse a Fundación Eco Urbano, teléfono (0343) 4226042, Fundación M’Biguá, teléfono (0343) 4228499.Papeleras. A propósito de la lucha que la comunidad de Gualeguaychú viene dando para erradicar a Botnia del río Uruguay, en esta semana, chicos de escuelas de esta localidad y ciudades vecinas escribieron diversos mensajes destinados a los Señores jueces del Supremo Tribunal de La Haya. La Cancillería Argentina será la encargada de llevar las misivas a La Haya. En las cartas, los niños piden “que haya justicia porque ellos tampoco quieren a “Botnia” en la cuenca del Río Uruguay”.Todos los trabajos realizados por los niños -en familia- fueron enviados a Cancillería Argentina quien se comprometió a hacerlos llegar al Tribunal de La Haya. Así lo informaron desde la Asamblea Ciudadana Ambiental Gualeguaychú.
Fonte: www.eldiario.com.ar

RS tem primeiro quilombo urbano do país

Imagem: Blogs Essa Metamorfose Ambulante/Linhas Livres
RS tem o primeiro quilombo urbano do país
Reportagem: Raquel Casiraghi
As famílias do quilombo da Família Silva receberam a titulação de sua terra, onde estão há 60 anos e fica numa área nobre de Porto Alegre (RS). Quilombolas acreditam que documento deve evitar a especulação imobiliária em relação à terra, mas prosseguem os desafios de infra-estrutura e geração de renda.
Depois de 11 anos de luta, os remanescentes do Quilombo da Família Silva finalmente conseguiram a titulação de sua terra em Porto Alegre (RS)
O documento foi entregue oficialmente na quinta-feira (24) pelo governo federal e, na sexta, os quilombolas realizaram uma festa com apoiadores e parlamentares para comemorarem a conquista.
Com a titulação, o Quilombo da Família Silva se torna o primeiro quilombo urbano do país. Para o advogado das famílias e integrante do Movimento Negro Unificado (MNU), Onir de Araújo, a história dos Silva irá estimular outras comunidades quilombolas do país.
"É uma vitória que não tem como medirmos, para o povo negro. Não só do RS como no Brasil. É uma referência de luta no Brasil inteiro e até mesmo internacionalmente. O protagonismo dos Silva rediscute o espaço urbano, a visão que se tinha dos quilombolas meio folclórica e pitoresca. Não, é realidade”, diz.
Quinze famílias moram no local. A área fica no bairro Três Figueiras, zona nobre da Capital, e sempre foi especulada por construtoras, já que na região predominam condomínios de luxo. Uma antiga obra do Plano Diretor ainda previa a ampliação de uma rua, que iria dividir o quilombo e tirar o espaço das famílias. Depois de muita pressão, a prefeitura municipal anulou a obra.
Rita de Cássia da Silva, uma das moradoras do quilombo, afirma que a titulação é a garantia de que as famílias irão permanecer no local. No entanto, há muito ainda no que avançar, como a construção de moradias com melhor infra-estrtura e projetos de geração de renda. Há seis anos, as famílias ganharam 13 máquinas de costura do governo federal, mas não têm espaço para trabalhar.
“Pra nós, que passamos por um processo grande de ‘tiradas’ daqui, por diversas ordens de despejo, é uma garantia de nós permanecermos aqui. Somos a 4ª geração da família. Sem terra não adianta, a gente não tira nada”, argumenta.
Na próxima semana, o quilombo da Chácara das Rosas, em Canoas, na região metropolitana, deve receber a titulação. Além do Quilombo da Família Silva, outras cinco áreas de quilombolas estão em processo de reconhecimento e titulação no estado. O Rio Grande do Sul possui 135 comunidades quilombolas.
Fonte: Agência Chasque

Chuvas III - Tornados passam sobre Santa Catarina

Imagem: Último Segundo
Ginásio destruído pelo tornado em Guaraciaba, em SC, onde quatro pessoas morreram
Tornados atingem SC e ventos chegam a 142 km por hora
Segundo informações da rede de notíciais na televisão, a tragédia se abateu sobre Santa Cataraina, com diversas mortes, granizos, 3.000 casas atingidas, e na Região Sul, 70% de casas danificadas após as tempestades. Uma nova frente fria chega ao Brasil, e chove mais da metade prevista para todo mês.
Em Araranguá, um possível tornado cruzou pela cidade, que ficou com vários prédios e casas danificadas, sem os telhados.
As tempestades podem chegar a passar de 180 km por hora, e mal tempo coloca o litoral sul em situação de alerta, podendo gear na madrugada no sul.
Fonte: reportagem TV Globo

Chuvas II - Situação tende a se manter instável

Temporal coloca cidades do Sul do Brasil em estado de alerta

Em SC, número de pessoas diretamente afetadas pode chegar a 6 mil; previsão é de mais chuva nesta segunda
Por Solange Spigliatti

Central de Notícias, com informações da Agência Brasil

SÃO PAULO - Pelo menos 14 cidades do Sul do País entraram em estado de alerta depois do temporal que atingiu a região no domingo, 27. No Rio Grande do Sul, são 12 municípios em alerta. Em Santa Catarina, duas cidades decretaram situação de emergência e o número de cidades afetadas chega a 17. Para esta segunda-feira, 28, a previsão é de mais chuvas, com trovoadas e rajadas de vento. A chuva deve ficar menos intensa apenas na parte da tarde, mas o tempo permanecerá instável durante toda a semana.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, o corpo de Rodrigo Monteiro, de 34 anos, que estava desaparecido após cair com o carro num arroio na região de Barragem do Salto, em Gramado, foi encontrado no domingo. Duas pessoas continuam desaparecidas, após o caminhão onde estavam também ser levado pela correnteza do Rio Santa Cruz.

Rota do Sol

A Rodovia Rota do Sol, que liga o litoral à região serrana do Rio Grande do Sul, continua interditada nesta segunda. Por volta das 23h do sábado, 26, a RS-486 (Rota do Sol), foi bloqueada entre a localidade de Tainhas (São Francisco de Paula) e Terra de Areia, por causa das chuvas na região.

O bloqueio é preventivo, para garantir a segurança. Neste domingo, 27, foi feita inspeção para verificar a segurança e a trafegabilidade nos 52 quilômetros do trecho entre a Serra e o Litoral. A Rodovia deverá ser liberada após o fim da chuva, segundo a polícia rodoviária estadual.

Chuvas deixam um morto e dois desaparecidos

Imagem: Gazeta do Sul
Chuvas deixam um morto e dois desaparecidos
Por Luana Rodrigues
A chuva que atingiu Santa Cruz do Sul e região deixou vestígios em todo o Rio Grande do Sul. Uma pessoa morreu e outras duas estão desaparecidas em Canela.
Elas trafegavam em um caminhão e, ao tentar cruzar uma ponte, foram levadas pela água. O fato ocorreu perto da barragem de Salto.
Veja a galeria de imagens com os estragos da chuva em Santa Cruz do Sul.
Ao todo, 11 municípios foram atingidos por granizo. Pelo Estado, cerca de 3180 casas ficaram danificadas. Em Santa Cruz do Sul 500 residências estão parcialmente destruídas. Em Venâncio Aires o número chega a 700. Já em Vera Cruz, conforme dados iniciais, foram cerca de 850 casas. Pelas proximidades da região também foram antigidos Montenegro, Taquari e Restinga Seca.
PREVISÃO
Conforme a Defesa Civil, hoje e amanhã choverá forte principalmente nas regiões norte, noroeste e leste do RS. Recomenda-se que a população fique longe de áreas de alagamento e evite trafegar em locais que ofereçam pouca proteção contra ventos e raios.
Com informações da Defesa Civil e do G1- Gazeta do Sul

CONEXÃO COM A MÃE TERRA

Imagem: 3º Milênio
CONEXÃO COM A MÃE TERRA
* Por Saviitri Ananda *
A estação das flores está chegando, época de fertilização que em tempos de grandes mudanças é muito importante que seja feita. Precisamos nos tornar semeadores de um Novo Tempo e sermos catalisadores de determinados acontecimentos que estão ocorrendo à nossa volta. Para que possamos nos tornar catalisadores de alguma situação, precisamos direcionar nossos dons, encaminhar nossos atos, visando a obter certo tipo de resultado. Para tanto, temos que fortalecer a nossa ligação com a Terra, porque nosso corpo está apto a conduzir a energia necessária para alcançar qualquer objetivo que pretendamos.

Leia mais em > http://www.3milenio.inf.br/92/_artigo92l.htm

A ENERGIA QUE NOS DEIXOU O 9-9-9

Imagem: 3° Milênio
A ENERGIA QUE NOS DEIXOU O 9-9-9
O HUMANO CÓSMICO EM EXPANSÃO
* Por Kai *

O último 9-9-9 nos deixou uma energia muito especial e um pouco diferente das energias que vinham se manifestando, nos diferentes portais anteriores. Enquanto que no 8-8-8 as energias se dirigiram para um enfoque de conexão e abertura da Consciência Crística global, através das Redes Magnéticas, o 9-9-9 teve um enfoque de trabalho interior e pessoal para cada um de Nós.
Este portal nos ofereceu uma freqüência cósmica de RE-conexão com nossa Divindade, oferecendo-nos a oportunidade de trabalhar internamente, para desligar-nos dos apegos emocionais e começar a viver com uma abertura de consciência mais clara do que nunca, RE-nascendo como Humanos Cósmicos em Expansão!

domingo, 27 de setembro de 2009

Na imensidão da Namíbia

Imagem: O ECO
Na imensidão da Namíbia
Por Margi Moss*
Namíbia é um país de horizontes grandes, de um céu imenso, um país de paisagens sinônimas à vastidão. Quem se sente mal se não estiver cercado de milhares de pessoas, tráfego intenso e poluição, deve se dizer que é um país de solidão. Até porque tem uma das densidades populacionais mais baixas do mundo (2,4 habitantes por km2). Isso, a meu ver, dá ao país uma característica muito especial, um patamar onde dispõe da riqueza singular de ter pouca gente.

Canivetes contra tanque de guerra

Imagens: Internet/Foto: Sudio D' Ambrosio
Canivetes contra tanque de guerra
Por Andreia Fanzeres
Ele realiza levantamentos em ambientes ultra profundos sob influência das perfurações petrolíferas na costa brasileira. Presta serviços às maiores empresas em atuação no Brasil do setor. Mas não mede palavras ao dimensionar a tragédia ambiental que se avizinha decorrente da exploração de novas jazidas de petróleo descobertas numa faixa de cinco a sete quilômetros de profundidade, na camada pré-sal. Para Jules Soto, geógrafo da Universidade do Vale do Itajaí (SC), as pressões pela exploração são tão gigantescas que toda contestação sobre este assunto pode ser comparada aos arranhões de canivetes em um tanque de guerra.

Chuva de granizo danifica ao menos 650 casas no RS

Imagem: Internet (foto de SC)
Chuva de granizo danifica ao menos 650 casas no RS
Oito municípios foram atingidos, de acordo com a Defesa Civil.
Tabaí e Santa Cruz do Sul devem decretar situação de emergência.
Oito municípios gaúchos foram atingidos por uma chuva de granizo, que deixou várias casas destelhadas, na madrugada deste domingo (27).
No município de Santa Cruz do Sul (RS), 500 casas sofreram estragos e foram cobertas com lonas, segundo a Defesa Civil. Em Tabaí, 150 casas foram danificadas, e os dois municípios devem decretar estado de emergência, de acordo com a Defesa Civil.
Os outros municípios atingidos foram Restinga Seca, Taquari, Montenegro, Venâncio Aires, São Francisco de Paula e Herval.
Em São Francisco de Paula, na Serra Gaúcha, ruas ficaram cobertas por gelo.
Em Porto Alegre, a chuva causou a queda de um muro em obras e uma clínica ao lado do local teve paredes e janelas danificadas. Os bombeiros
cobriram o local com lonas mas há risco de novos deslizamentos. Ninguém ficou ferido.
A RS-486 (Rota do Sol), entre Tainhas (São Francisco de Paula) e Terra de Areia, foi interditada na noite deste sábado (26), por causa das chuvas na região. Neste domingo, será realizada inspeção para verificar se é possível liberar o tráfego.
Granizo causa danos a municípios de SC
As cidades do leste de Santa Catarina e a região da Grande Florianópolis foram atingidas por uma rápida e intensa chuva de granizo entre a tarde deste sábado e a manhã deste domingo. Segundo a Defesa Civil do Estado, muitas casas tiveram sua estrutura, principalmente os telhados, danificados. A população está em alerta até segunda-feira.
Fonte: G1

Será que Freud explica?

Imagem: Internet

No aniversário de 150 anos do nascimento de Sigmund Freud, Governo do Estado e a Prefeitura Municipal projetam um falo de 100 metros para decorar a revitalização do Cais do Porto de Porto Alegre.

Essa poderia ser uma introdução debochada, ao estilo Casseta e Planeta ou Pânico na TV, à apresentação do projeto Cais do Porto, em audiência pública ocorrida ontem, dia 24 de setembro, na Câmara dos Vereadores. Mas não cabe, aqui, qualquer tentativa de tornar risível o que está em jogo, mais uma vez, em nome da “modernização”, do “progresso”, do “desenvolvimento” da capital dos Gaúchos. O assunto é sério. Mais do que isso: é grave.
O projeto autoriza, em nome da “revitalização” do Cais Mauá, prédio com a altura de 100 metros (a chaminé do Gasômetro tem 117 metros) na subunidade 2 - docas – ao lado da Rodoviária, quando a altura de 52 metros é o limite máximo definido pelo PDDUA de Porto Alegre. Permite, também, a altura de 32 metros (prédio de 11 andares) na subunidade 5, onde está localizada a Usina do Gasômetro (concorre, portanto, com a própria edificação símbolo dos porto-alegrenses), com aproveitamento de 90% da base, ou seja, somente 10 % livre de construção. Além disso, libera a obrigatoriedade de reserva de áreas para o sistema viário e equipamentos públicos e permite uso misto, comercial e residencial, classificada como Zona Mista 3, cujo objetivo é permitir a instalação de flats no local. As justificativas são a Copa de 2014 e o investimento de R$ 500 milhões dos empreendedores, tal como "um cavalo encilhado que precisa ser montado, pois não passará duas vezes”, nas palavras dos defensores do projeto. Outros celebram a restauração dos armazéns e a criação de 5 mil vagas de estacionamento para acesso à população... “Será o nosso Porto Madero”, grita a bancada do concreto formada pelos vereadores e deputados favoráveis ao projeto.
Para registro, no projeto Pontal do Estaleiro responderam com um sonoro NÃO ao uso misto para construção de espigões nada menos que 80% dos eleitores na Consulta Popular, em uma área PRIVADA. Agora, o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal querem permitir construção de espigões em área PÚBLICA, em meio a patrimônios históricos do Cais do Porto, em benefício da iniciativa privada. "Senão eles não investem, porque o projeto não terá retorno financeiro." Ah, entendi: retorno financeiro sobre patrimônio público... Especulação imobiliária mudou de nome. Obviamente, não se trata de ser contra ou a favor da revitalização do Cais Mauá, como sempre pretendem fazer crer os maniqueístas de plantão. Mas a que preço? Por acaso o Cais do Porto está a leilão? “Quem dá mais: 1 milhão para o cavalheiro que projeta dois espigões de 100 metros!” A população será consultada sobre isso? Ou não precisa porque a especulação financeira de áreas públicas (e financiamento de campanhas) já passou o recibo? O poder público virou leiloeiro de luxo de área nobre? "Esse mega-empreendimento vai gerar emprego e renda para os desempregados que moram no centro!", defende o humanista engravatado em nome do projeto. E o Centro Histórico de Porto Alegre, com suas dezenas de prédios abandonados que deveriam ser revitalizados para gerar emprego, renda e moradia para cidadãos de baixa-renda? E o trânsito no centro da capital, estrangulado e sufocado nas vias vicinais e transversais? As principais capitais turísticas do mundo querem desafogar de veículos seus centros e restaurar seus patrimônios culturais, preservando suas identidades históricas, principal ativo turístico dessas cidades. Em Porto Alegre, a Secretaria Municipal de Turismo entrega um documento assinado por 30 entidades ligadas ao trade para manifestar pleno apoio ao projeto de espigões no Cais do Porto.
Será que Freud explica?
João Volino Corrêa
Presidente da AMA - Associação dos Moradores e Amigos da Auxiliadora
Membro da coordenação do Movimento em Defesa da Orla do Rio Guaíba
Integrante do Fórum de Entidades da Câmara Municipal de Porto Alegre

Semana de Filiação do Partido Verde de Vitória da Conquista/BA

SEMANA DE FILIAÇÃO AO PARTIDO VERDE de Vitória da Conquista/BA
PARTICIPE DA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO MOMENTO DA POLÍTICA BRASILEIRA! Durante essa semana, a sede do PV de Vitória da Conquista estará aberta em horário comercial para as novas filiações. Na sexta, 02 de Outubro, um grande evento de recepção aos novos filiados, com a presença do Deputado Edigar Mão Branca, do Vice Prefeito Ricardo Marques e do Vereador Beto Gonçalves entre outras autoridades do PV conquistense.
Endereço: Praça Barão do Rio Branco, S/N, Centro, Prédio da Claro - Primeiro Andar
Horários: Das 08h às 12h e das 14h às 18h
CONTATOS: 8818 8126 - 8802 3617 - 8827 0567 - 8827 0476

Caciques ambientalistas e ruralistas fumam cachimbo da paz. Minc não foi e não fumou!

Imagem: Portal do Meio Ambiente
Caciques ambientalistas e ruralistas esboçaram ontem uma aproximação política que pode resultar em uma proposta consensual de remendo do Código Florestal Brasileiro.
Expoentes das partes beligerantes fumaram o cachimbo da paz, como definiu o deputado Fernando Gabeira (PV), durante seminário promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) sobre meio ambiente e produção de alimentos. O ministro do ½ ambiente, Carlos Minc, não esteve presente e, portanto, não fumou.
A presidente da CNA, senadora Kátia Abreu (DEM), lançou a proposta de revisão do Código Florestal por meio de um pacto nacional com sanção social, baseado em conhecimento científico e dados econômicos e sociais. À vontade diante da platéia de dirigentes rurais, Gabeira acenou com a abertura de um diálogo mais concreto com os produtores. “Aceitamos a ciência para mediar, porque fixar 80% como reserva legal na Amazônia é metafísica”, reconheceu o deputado para surpresa geral.
O ambientalista João Paulo Capobianco, o Capô, defendeu um amplo consenso sobre o tema. Os ambientalistas sabem que é preciso um acordo. Ninguém quer acabar com a Agricultura. Capobianco concebeu o pacote de arrocho ambiental ao setor rural, que culminou com a publicação pelo ministro Minc de um decreto que criminaliza os produtores, no fim de 2008. É ridícula essa separação entre ambientalistas e ruralistas, resignou-se Capô.
Kátia Abreu também criticou a polarização do debate ambiental. “Acusações recíprocas não são boas. Temos que agir sem violência, raiva nem rancor”, afirmou, em clara referência ao Paulo Adário. O ex-ministro da Agricultura, Alysson Paulinelli, disse que a tensão entre os dois lados tem levado experiências importantes, como a integração lavoura-pecuária-florestas, o pastejo rotacionado e os reflorestamentos industriais a ficarem no pelourinho.
Texto adaptado do Jornal Valor Econômico

Filme provoca público a agir contra a crise climática

Filme provoca público a agir contra a crise climática
"A era da estupidez" questiona o imobilismo humano diante da ameaça do aquecimento global e pretende transformar 250 milhões de espectadores em ativistas pelo clima.
A três meses da reunião que decidirá o futuro da humanidade, a 15ª Conferência do Clima, estreia o filme "A era da estupidez" (The Age of Stupid), um olhar crítico sobre a demora dos atuais governantes em lidar com a crise climática.
"A era da estupidez" se passa em 2055 e tem no papel principal o ator inglês Pete Postlethwhaite, indicado para o Oscar em 1994. Ele interpreta o "arquivista", um homem solitário que vive num mundo devastado pelo aquecimento global e que consome seu tempo catalogando o passado. No filme, Postlethwhaite examina imagens de 2007 e se pergunta por que a humanidade não tomou providências contra a crise climática quando ainda havia tempo.

Imagem em infravermelho mostra presença de água no satélite natural da Terra

Os cientistas da Nasa descobriram moléculas de água nas regiões polares da Lua
25 de setembro de 2009 • 19h50
Foto: Nasa/Divulgação

IV Colóquio "Os Caminhos das Águas"

IV COLÓQUIO "OS CAMINHOS DAS ÁGUAS"
A MIRA-SERRA realiza o seu IV Colóquio "Os Caminhos das Águas", que integra o dia de abertura da Semana Estadual da Água.
O evento acontece às 14h, no ESPAÇO MIRA-SERRA DE ESTUDOS AMBIENTAIS, localizado na av. Júlio de Castilhos nº 709 sala 01 (referência: loja Ponto Dez), em São Francisco de Paula. O colóquio é aberto aos interessados. Entrada franca!
A ONG apresentará um documentário de curta duração, abordando temas atuais relacionados com a água - ênfase na região serrana.
Esta promoção da MIRA-SERRA conta com o apoio da Reserva Particular Patrimônio Natural (RPPN) MIRA-SERRA, Comitê Estadual Reserva da Biosfera da Mata Atlântica-RS, Rede Mata Atlântica (elo-RS) e Secretaria Estadual do Meio Ambiente/Projeto de Conservação da Mata Atlântica-RS.
Mais informações: 54-91897731 ou 51-92674201
A MIRA-SERRA também estará apresentando trabalho científico na VI Mostra de Trabalhos Técnicos, Científicos e Comunitários - 05 a 10 de outubro
Horário: manhã e tarde
Local: Altos do Mercado Público- Porto Alegre
Promoção: Comitê Lago Guaíba, IPH e Biociências
Apoio: Abes-RS, Agabitas, Corsan, Dmae e Smarja.
Informações: 51.3308.3319 - lagoguaiba@cpovo.net

Aracruz de Guaíba está sendo vendida a chilenos

Imagem: Internet
Aracruz de Guaíba está sendo vendida a chilenos
As promessas de 2006 ficaram na saudade
A Aracruz Celulose, incorporada pela Votorantim Celulose e Papel (VCP), negocia a venda da Unidade Guaíba com o grupo chileno Empresas CMPC. O valor do negócio é US$ 1,43 bilhão, sujeito a ajuste. A venda da unidade foi antecipada pelo jornal Valor em reportagem publicada no último dia 16.
De acordo com fato relevante divulgado pela Aracruz, já foi assinado um memorando de intenções com a CMPC, que terá exclusividade nas negociações por 90 dias.
O acordo de venda inclui uma fábrica de celulose com capacidade de produção de aproximadamente 450 mil toneladas anuais e uma fábrica de papel, que pode produzir cerca 60 mil toneladas/ano.
O comprador também leva os terrenos com uma área aproximada de 212 mil hectares e as licenças e autorizações para expansão da fábrica de celulose, projeto que pode elevar a capacidade para cerca de 1,75 milhão de toneladas.
Conforme apurou o Valor, a intenção dos acionistas não era vender a unidade que fica no Rio Grande do Sul. Mas a oferta pelo ativo foi alta o suficiente para que a proposta fosse avaliada. A informação é do portal Valor Online, repassada pelo jornalista Daniel Cassol.
.....................................
O governo Yeda Crusius, a partir desta notícia, deve uma explicação ao Rio Grande do Sul, bem como o jornal Zero Hora.
Conforme badalou na capa o jornal da RBS, edição de 30 de junho de 2006 (ver acima), os investimentos da papeleira iriam beneficiar cerca de trinta municípios da Metade Sul e gerar 12,5 mil empregos, graças a um investimento de 1,5 bilhão de dólares.
Prometeram - Yeda, a RBS e a papeleira quebrada (pela jogatina financeira no mercado de derivativos cambiais em 2008) - e não cumpriram.
A papeleira não só não realizou nenhuma dessas promessas, como agora, a própria está sendo negociada pela quantia de 1,43 bilhão de dólares com um grupo de investidores chilenos.


Fonte: CEA

Na surdina, Congresso reduz UCs

Imagem: Internet
Na surdina, Congresso reduz UCs
O Congresso Nacional parece mesmo ter tomado gosto por atos secretos, obscuros e afins. A última foi aprontada na última terça-feira durante a votação na Câmara de emendas apresentadas à Medida Provisória (MP) 462 - destinada originalmente a ajudar os municípios a enfrentar a queda de receitas provocada pela crise financeira internacional. No processo foram incluídas proposições que não tinha nada a ver com tema, prática que tem sido chamado pelos próprios deputados (os honestos no caso) de contrabando. E surpresa, as propostas aprovadas reduzem unidades de conservação e facilitam o licenciamento de obras danosas ao meio ambiente.
A emenda nº 7 trata da alteração dos limites da Reserva Extrativista (Resex) Baia do Iguape (BA), unidade de conservação localizada na área mais preservada da Baia de Todos os Santos – estuário do rio Paraguaçu. “O objetivo desta alteração é liberar área da Resex para a construção de um Polo Industrial Naval, projeto proposto e defendido pelo governo da Bahia”, alerta Rogério Mucugê, representante do Grupo Ambientalista da Bahia (Gambá).
A emenda nº 6 inclui o Porto Sul em Ilhéus (BA) no Plano Nacional de Viação. “Lá, resta uma das mais importantes áreas de remanescentes de Mata Atlântica do país. A preservação de sua zona costeira é considerada pelo Ministério do Meio Ambiente fundamental para a conservação marinha”, aponta Leandra Gonçalves, da Campanha Oceanos do Greenpeace. “O senador Romero Jucá, autor dessa proposta, tem, entre seus financiadores de campanha, empresas portuárias e por isso quer agora passar o trator em cima da área”,diz a ambientalista. A emenda nº 21 prevê uma redução drástica nos limites da Floresta Nacional (Flona) de Roraima, que passaria a ter apenas 6,3% de seu território original. De uma área atual de 2,66 milhões de hectares, a Flona ficaria com 167 mil hectares.

Debate amanhã em Porto Alegre sobre PL 154


Click na imagem para ampliar

O mercado das catástrofes ambientais

O mercado das catástrofes ambientais
Reportagem: Felipe Amaral

No comentário ambiental da semana, o ecólogo Felipe Amaral fala dos refugiados ambientais, que têm aumentado em número no mundo devido às mudanças climáticas. Ainda há quem ganhe dinheiro com a catástrofes que atingem a população. Edições anteriores do Programa Leguero podem ser conferidas no link “Comentário Ambiental” do site.
Porto Alegre (RS) - Recente relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que 20 milhões de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas e territórios por efeitos ligados a desastres naturais. O número chega a 36 milhões de pessoas se incluirmos nos cálculos o terremoto na província de Sichuan na China. Mas se analisarmos pontualmente desastres associados aos efeitos das mudanças climáticas, que podem ser de efeito rápido ou lento, os números impressionam.