sábado, 28 de fevereiro de 2009

Nunca antes na história de Tapes

Estação de Tratamento de Esgotos de Tapes, onde pela inatividade estão criando peixes e local de banho, sem a preocupação com os “coliformes fecais” que ainda não chegaram às bacias de captação e tratamento

"Abençoados os que esquecem, porque tiram proveito até mesmo de seus equívocos" (Nietzsche)


Tapes é uma cidade que viveu com diversas promessas, todas elas oriundas das esferas de poder que conduzem o povo na saga em busca "não se sabe nem do quê", pois "nunca antes na história de Tapes" se viu tantas "obras", e o plágio ao Governo Federal chega "para todos" como uma promessa divina de atravessarmos o mar vermelho só pela "lábia" bem aplicada no povo, e acreditam os responsáveis pelo problema "público", seja isso, "tudo marolinhas" e nada importante para futuro da comunidade.

Nas últimas duas décadas, nas últimas cinco administrações públicas o que mais se observou neste tempo todo foram ações que se mostraram inócuas e desprovidas de sentido prático. O bosque municipal, "obra" que iria transformar o antigo camping municipal em área de lazer e de acesso a população, ainda aguarda que se dignem a tomarem as providências para adotarem as medidas propostas, de uso público para o lazer e cultura da cidade. Não é ainda visível esta situação de melhorias, mas em compensação a situação de "piorias" se amplia com o passar dos anos.

Outra situação, que "nunca antes na história de Tapes" ocorreu, está agora ocorrendo, caso das entidades de proteção aos animais e seus protetores que estão sendo “pressionados” pelos “órgãos públicos” para resolverem o "problema" do abrigo provisório de animais de rua em suas casas. Os mesmos não cobram da administração pública as promessas de "apoio" para adoção de medidas visando dar condições dignas aos animais de rua e sustentação de uma ação voluntária destas pessoas, que tem um sentido mais humano com os bichos, do que os políticos com o povo. A cada eleição assistimos vários se elegerem pelo voto do povo, e nenhum capaz de pensar e agir por uma política de bem estar animal.

A promessa de melhorias no turismo local se resumiu na "Cidade dos Cavalos", e a população já acredita que a "Cidade dos Carrapatos" também é um bom motivo para alavancar o turismo..., lá em Arambaré, nosso vizinho balneário que a cada dia atrai mais pessoas para suas praias. Uma época atrás, ouvi falar e li nos jornais, que com um barco de uma entidade ecológica que não existe mais, foi feita uma campanha para "torpedear" o Turismo local, quando aos berros em megafone, foi alertada a "poluição da lagoa".

A lagoa continua dia a dia sendo poluída, e quem "gritava" antes, agora faz um "silêncio obsequioso" na tentativa de "escamotear" a real situação das condições de balneabilidade das águas que banham nossa orla, e que, como havia escrito no verão passado, qualquer cidadão incauto ou que não saiba da real situação irá se banhar sem a preocupação e sem algum indicativo do perigo que está sujeito o banhista. O indicativo é a Placa de Alerta da FEPAM que "normalmente" some após ser colocada pelo órgão ambiental do Estado.

Quanto as "obras" que "nunca antes na história de Tapes" se viu, a população questiona se os quase R$ 150 mil de dinheiro público para compra por desapropriação de uma área de banhados, afim da construção da "Cidade dos Cavalos" não será pouco o recurso para tal intento, visto os valores duplicados para "aterrar" tal banhado, e que aumentarão em muito os custos para "tal" iniciativa Turística.

Quanto a questão ambiental, que o Governo local não tem "tato" ou "sentido" apurado para ver que "nunca antes na história de Tapes" ou em qualquer época esteve tão ruim, fazendo de conta que não existe problemática, escondendo da população o resultado do famoso "diagnóstico" das condições das sangas, demonstra que não há interesse no tema e na necessidade de ser pautada esta questão. O COMPEMA, que é uma fachada de Conselho de Controle Social, nem tomou conhecimento sobre Aterro, localização ou impedimentos legais e ambientais referentes a obra, que por obrigação da Lei Municipal n° 2447/2006 - é competência "exclusiva" do COMPEMA "art. 2º, inciso I - analisar e aprovar ou não o projeto de entidades, públicas, ou privadas objetivando evitar exploração predatória ou poluidora de recursos ambientais".

Demonstra-se que chegamos na beira do abismo. Só falta alguns "ex-Ecologistas" começarem a gritar no megafone que querem mais um aterro/lixão em Tapes para que Arambaré aumente suas rendas com o Turismo, e a cidade sucumba no "adubo" dito diariamente sobre os avanços que "nunca antes na história de Tapes" se viu.

Outra situação, das muitas que poderia enumerar aqui nesta coluna, mas o espaço me restringe a escrever o mínimo possível, é a falta de atendimento a uma antiga necessidade da comunidade tapense, a atenção a questão dos resíduos sólidos de nossa cidade, e não de 11 cidades da região, que pensam os "pró-lixão" estarem fazendo um bem a sociedade. Sim, a sociedade com os investidores que estavam presentes a Audiência Circense realizada na Câmara de Vereadores, só esperando o momento para ter certeza que irão investir/lucrar com a proposta que "salvará" a cidade dos tapenses, e poderá elevar a Qualidade de Vida daqueles que fazem seu "turismo" lá em Santa Catarina.
Julio Wandam
Ambientalista

Nenhum comentário: